Bolsonaro voltou a ter febre e médicos suspeitam de pneumonia

Vídeo tirado de conta oficial do Twitter do presidente Jair Bolsonaro após a cirurgia

O presidente Jair Bolsonaro teve febre novamente e pode ter uma pneumonia, informou nesta quinta-feira (7) o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde se recupera da operação para a retirada da bolsa de colostomia.

O presidente "apresentou, ontem à noite, episódio isolado de febre sem outros sintomas associados, foi submetido à tomografia de tórax e abdome que evidenciou boa evolução do quadro intestinal e imagem compatível com pneumonia", explicou o boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein.

Bolsonaro, de 63 anos, permanece internado na unidade de terapia semi-intensiva e recebe tratamento com antibióticos, agora reforçado pela suspeita de pneumonia que não tem desencadeado, no entanto, os alarmes dos médicos.

O porta-voz presidencial, Otávio do Rêgo Barros, disse à imprensa no hospital que, pelo o que conversou com os médicos, não há motivo para maiores preocupações.

O novo boletim supõe, no entanto, um revés na recuperação de Bolsonaro, cujo quadro era "estável" na quarta-feira, depois que alguns primeiros episódios de febre fizeram com que ele adiasse a alta inicialmente prevista para aquele dia.

Desde então, ele ainda não tem data marcada para sair do hospital, onde usa sonda nasogástrica e recebe visitas com restrições.

Bolsonaro continua a ingerir líquidos por via oral, combinado com "nutrição parenteral" e faz pequenas caminhadas no corredor.

O período de recuperação não o impede de continuar a se comunicar pelas redes sociais, onde nesta quinta-feira voltou a mostrar seu tom combativo habitual em várias mensagens no Twitter.

O último incluía o vídeo de seu porta-voz informando sobre seu estado, junto com o aviso: "Cuidado com sensacionalismo. Estamos muito tranquilos, bem e seguimos firmes".