Bombardeio russo contra imóvel residencial no leste da Ucrânia deixa ao menos 15 mortos

AFP - MIGUEL MEDINA

Ao menos 15 pessoas morreram e 24 estão desaparecidas após um bombardeio russo contra um prédio em Chasiv Yar, no leste da Ucrânia, na noite de sábado (9). Equipes de socorro trabalham no local na esperança de regastar sobreviventes dos escombros.

"Durante as operações de resgate, 15 pessoas foram encontradas mortas no local e cinco foram resgatadas com vida", afirma o balanço atualizado divulgado pela unidade local do Serviço de Situações de Emergência da Ucrânia. Algumas horas antes, o governador da região de Donetsk, Pavlo Kyrylenko, havia anunciado seis mortos, cinco feridos e 30 desaparecidos.

Segundo as autoridades, as equipes de socorro estão em contato com três pessoas vivas sob os escombros. Entre os 24 desaparecidos, há uma criança.

O ataque ocorreu durante a noite em Chasiv Yar, pequena cidade de 12 mil habitantes no leste da Ucrânia. O imóvel de quatro andares foi atingido por um míssil russo, afirmou Kyrylenko no Telegram.

"Estava no quarto quando tudo começou a tremer e a desmoronar. O que me salvou foi o impacto da explosão que me atirou para fora", disse uma moradora do prédio aos jornalistas no local.

Quase 600 mortos em Donetsk

As forças russas continuam a atacar o leste da Ucrânia neste domingo (10). Segundo Kyrylenko, ao menos 591 civis morreram e 1.548 ficaram feridos na ofensiva na região de Donetsk desde o início da invasão russa, em 24 de fevereiro.

O exército russo, que anunciou no início deste mês ter conquistado a região de Lugansk, visa agora a totalidade de Donetsk para ocupar integralmente a bacia de mineração do Donbass. O local é parcialmente controlado pelos separatistas pró-russos desde 2014.

No sábado, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, acusou a Rússia de atacar "deliberadamente, intencionalmente, simples residências, alvos civis e pessoas". Segundo ele, "os bombardeios russos não param nem um dia sequer, principalmente em Sloviansk, Bakhmut, Avdiivka", enumerou.

Várias autoridades ucranianas também acusam o exército russo de provocar incêndios em campos para destruir plantações. Além disso, Kiev indicou ter atacado dois postos de comando militar e depósitos de armas na região de Tchornobaïvka, no sul.

Ataques no nordeste e sul

Em Kharkiv, no nordeste, segunda maior cidade da Ucrânia, o governador Oleg Synegoubov afirmou que novos tiros de mísseis do exército russo atingiram um estabelecimento escolar e uma residência civil, deixando uma pessoa ferida. Outros ataques foram registrados na região de Mykolaïv, no sul, Siversk e Sloviansk, no no leste.

O "embaixador de Moscou" em Lugansk, Rodion Mirotchnik, declarou na manhã deste domingo no Telegram que em Donetsk, as forças russas se concentram em Siversk, "pelo norte" e em Grygorivka, "tomada após combates". Segundo ele, suas tropas "continuam realizando operações militares para liberar Serebrianka, no leste.

Na noite de sábado, em um comunicado, o Ministério da Defesa da Rússia acusou o exército ucraniano de transferir armamentos e soldados a escolas e prédios civis em várias localidades de Donetsk e em Kharkiv.

(Com informações da AFP)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos