EI reivindica o duplo atentado terrorista em Cabul

Cairo, 30 abr (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta segunda-feira o duplo atentado suicida no centro de Cabul, capital do Afeganistão, no qual morreram pelo menos 21 pessoas e outras 40 ficaram feridas.

Em comunicado oficial do grupo difundido por canais no Telegram afins ao EI, se identifica os terroristas suicidas como Qaqaa al Kurdi e Khalil al Qurashi.

O ataque, segundo a nota, cuja autenticidade não pôde ser verificada, teve como alvo uma sede da Inteligência afegã, conhecida como "Presidência 90".

O primeiro terrorista, Kurdi, detonou seu colete explosivo no prédio da Inteligência afegã e, mais tarde, o seu companheiro fez o mesmo na rua para surpreender as pessoas que tinham fugido do primeiro ataque e "fazê-los em pedaços", segundo o grupo terrorista.

O EI afirmou que o ataque causou 110 vítimas, entre mortos e feridos, embora o grupo costume exagerar os números referentes aos seus atentados.

Segundo o Ministério da Saúde Pública do Afeganistão, pelo menos 21 pessoas morreram, entre elas um fotógrafo da agência "AFP" e outros dois jornalistas, e 40 ficaram feridas.

O EI comete frequentes atentados no Afeganistão, o último deles, na semana passada, causou 69 mortos e 120 feridos em um centro de registro de eleitores no oeste de Kabul, em um bairro habitado majoritariamente pela minoria xiita hazara. EFE