Bombeiros controlam megaincêndio na Austrália

Por Andrew BEATTY
1 / 2
Automóvel queimado entre árvores carbonizadas em Lithgow, Nova Gales do Sul, em 11 de janeiro

Exaustos, os bombeiros australianos, exaustos nesta segunda-feira (13) que controlaram um megaincêndio nos arredores de Sydney, graças a um clima mais úmido que promete uma trégua muito necessária para o campo devastado pelo fogo.

Os bombeiros de Nova Gales do Sul afirmam ter sob controle o grande incêndio da Gospers Mountain, no subúrbio noroeste de Sydney, após uma luta de quase três meses.

O incêndio queimou mais de 800.000 hectares, incluindo uma área do parque nacional três vezes o tamanho da Grande Londres.

Em uma visita à área nesta segunda-feira, o chefe do Corpo de Bombeiros Rural de Nova Gales do Sul, Shane Fitzsimmons, disse que ainda há "uma pequena área em chamas para completar", mas que a "previsão de contenção parece promissora".

O Centro de Meteorologia prevê até 50 milímetros de chuva na próxima semana, um alívio após uma seca prolongada.

Se essa previsão se cumprir, para o Serviço de Bombeiros Rurais de Nova Gales do Sul, será "todos os presentes de Natal, aniversário, noivado, casamento e formatura, tudo em um. Vamos cruzar os dedos".

Dezenas de incêndios continuam, porém, fora de controle.

- Show -

Os incêndios agravados pelas mudanças climáticas provocaram grande mobilização internacional e doações para ajudar a população e os animais.

A flora e fauna únicas da Austrália sofreram um golpe catastrófico, com cerca de 1 bilhão de animais mortos e incontáveis árvores e arbustos queimados.

A ministra do Meio Ambiente, Sussan Ley, alertou que, em algumas áreas, o coala deverá ser classificada como espécie ameaçada de extinção.

O governo planeja alocar 50 milhões de dólares australianos (35 milhões de dólares americanos) para a recuperação da vida selvagem.

"Este foi um desastre ecológico, um desastre que ainda está em andamento", declarou o ministro do Tesouro, Josh Frydenberg, ao anunciar a criação do fundo de emergência.

Neste fim de semana, Sydney realizará um show beneficente para ajudar os serviços dos bombeiros, a Cruz Vermelha e as organizações de defesa dos animais.

Entre os principais artistas que se apresentarão estão Alice Cooper, Olivia Newton-John e Queen.

- Vertente política -

A crise está tendo um impacto na esfera política.

Uma pesquisa publicada nesta segunda-feira mostra que a popularidade do primeiro-ministro Scott Morrison caiu.

Segundo pesquisa da Newspoll, 59% dos eleitores australianos estão insatisfeitos com a atuação do líder conservador durante a crise dos incêndios, e apenas 37% o aprovam, uma mudança abrupta desde sua surpreendente vitória eleitoral em maio passado.

Morrison tem sido fortemente criticado por sua resposta à crise, por ter saído de férias no Havaí, por ter feito piadas e por declarações errôneas sobre as ações do governo, bem como por ter forçado algumas vítimas enfurecidas a cumprimentá-lo.

Logo no início da crise, Morrison insistiu em que as autoridades locais tinham recursos suficientes para lidar com os incêndios e que os bombeiros voluntários "queriam estar lá".

Ele também afirmou em diversas ocasiões que a Austrália estava fazendo mais do que o suficiente para cumprir suas metas de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa, o que levou a protestos em larga escala.

Diante da reação negativa, Morrison mobilizou os militares, lançou a maior convocação de reservistas em tempos de paz, prometeu bilhões de dólares em ajuda, aumentou os salários dos bombeiros e sugeriu que poderia haver mais trabalho sobre a questão das emissões.