Autoridades americanas investigam Facebook por vazamento de informações

Washington, 20 mar (EFE).- A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) está investigando o Facebook pelo acesso a informações privadas de cerca de 50 milhões de usuários por parte de uma empresa de análise de dados vinculada ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informaram nesta terça-feira veículos de imprensa americanos.

A comissão está investigando se a popular rede social violou os termos de seu contrato de consentimento, estabelecido em 2011, ao fornecer dados dos seus usuários à companhia Cambridge Analytica, que em 2014 obteve tais informações, segundo a "Bloomberg".

A companhia britânica, que colaborou com a campanha de Trump em relação às eleições presidenciais de 2016, usou as informações para desenvolver um software destinado a prever as decisões dos eleitores e influir nelas.

Cabe destacar que entre os investidores da Cambridge Analytica estão o ex-estrategista chefe de Trump e ex-chefe de sua campanha eleitoral em 2016, Steve Bannon, e um conhecido doador republicano, Robert Mercer.

Em seu contrato de 2011, o Facebook se comprometia a solicitar o consentimento dos seus usuários antes de realizar determinadas mudanças nas preferências de privacidade, como parte de um acordo com o Estado, que na ocasião acusava a rede social de enganar os consumidores ao compartilhar informações com empresas terceiras sem autorização.

Se for considerado culpado, o Facebook poderia ter que pagar multas milionárias pela violação do acordo com seus usuários. EFE