Bombeiros encerram temporariamente buscas por empresário desaparecido em Angra dos Reis

·3 minuto de leitura

RIO — Após 18 dias, o Corpo de Bombeiros encerrou temporariamente as buscas pelo empresário Leonardo de Andrade , de 50 anos, que desapareceu no mar de Angra dos Reis, Costa Verde fluminense, no último dia 22 de agosto. De acordo com o delegado Vilson de Almeida Silva, da 166ª DP (Angra dos Reis), responsável pelo caso, o comandante do quartel de Angra recebeu a orientação de encerrar as buscas até que alguma nova informação surja. Com isso, segundo a corporação, o último dia de procura no mar foi nesta quarta-feira, dia 8

— Não temos nenhuma novidade até o presente momento. As buscas estão encerradas ate que haja alguma nova informação sobre o paradeiro da embarcação ou do Leonardo para poderem retomar as buscas. A investigação continua até se esclarecer o que aconteceu com o casal e a embarcação — explica o delegado.

Leonardo passava um fim de semana em Ilha Grande, destino turístico de Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense, com a ex-mulher. Uma semana depois, em 29 de agosto, o corpo de Cristiane Nogueira foi encontrado na Restinga do Marambaia, com indícios de afogamento e sem sinais de violência. O casal viveu junto e ensaiava uma reconciliação.

A Polícia Civil já revelou que houve um pedido de socorro realizado com sinalizadores na área de Marambaia, Zona Oeste do Rio, cerca de 24 horas depois de Cristiane e Leonardo terem sido vistos pela última vez.

A polícia obteve imagens de câmeras de segurança da área externa da casa onde estavam Leonardo e Cristiane pouco antes de saírem para um passeio no mar. As gravações mostram o momento em que o casal deixa o imóvel, pouco depois das 17h do dia 22 de agosto. A filmagem mostra Leonardo saindo da casa primeiro. Cristiane vem em seguida e deixa o local após trancar uma porta. Os dois caminham em direção ao mar.

Segundo os depoimentos colhidos pela polícia, o casal usou um barco emprestado, que já havia pertencido a Leonardo. Ele tinha conhecimento de navegação e pilotava a traineira, que segue desaparecida.

Na última quinta-feira, dia 2, uma boia foi encontrada pela Capitania do Portos, também na Restinga de Marambaia. A confirmação de que o objeto resgatado pertence à traineira onde estava o casal foi feita pelo delegado Vilson de Almeida Silva, da 166ª DP (Angra dos Reis).

— A Capitania dos Portos nos informou que a inscrição que está na boia era o antigo nome da embarcação desaparecida e que foi usada pelo casal. Isso aumenta muito os indícios de um naufrágio. Vamos continuar investigando para saber o que aconteceu — disse o delegado, na ocasião.

Uma janela compatível com a da embarcação desaparecida também foi localizada. Ela estava boiando e foi encontrada por um pescador. Como a perícia não encontrou sinais de violência no corpo de Cristiane, a Polícia Civil suspeita que o barco onde estava o casal tenha afundado. Segundo o delegado, a localização da embarcação será fundamental para o caso:

— Enquanto não encontrarmos o barco, não descartamos nada. Mas há indícios de naufrágio — diz o delegado responsável pelas investigações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos