Pequenas esperanças de encontrar sobreviventes da tragédia de Brumadinho

Moradores da comunidade Parque da Cachoeira observam área atingida pelo rompimento da barragem em Brumadinho

Os bombeiros trabalhavam neste sábado em algumas áreas em que poderiam encontrar sobreviventes do rompimento da barragem da empresa Vale no município de Brumadinho, Minhas Gerais, uma tragédia que até o momento deixou nove mortos e 299 desaparecidos.

As esperanças, no entanto, são cada vez menores.

Os bombeiros informaram no início da tarde que todos os ocupantes de um ônibus no qual havia expectativas de encontrar pessoas com vida estão mortos, sem divulgar o número.

"Foram confirmados apenas óbitos", disse o tenente Pedro Aihara.

Este era um dos quatro pontos identificados previamente pelo coronel Edgard Estero, comandante dos bombeiros de Minas Gerais, como possíveis locais com sobreviventes.

As buscas prosseguem em uma comunidade (Parque das Cachoeiras), parte de um prédio e uma locomotiva.

A catástrofe aconteceu no início da tarde de sexta-feira em Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte, sepultando boa parte das instalações co complexo Córrego do Feijão, que pertence à empresa Vale.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, considerou na sexta-feira "mínimas" as chances de encontrar sobreviventes.

Estevo afirmou que 140 bombeiros trabalham sem pausa nas buscas por sobreviventes e na recuperação de corpos.

"O trabalho vai se prolongar durante semanas para que a gente possa dar noticias a todas as famílias dos desaparecidos", disse.

O balanço mais recente, divulgado antes da notícia do ônibus com vítimas fatais, era de nove mortos e 199 feridos.