Boomers podem estar destruindo o mercado imobilário americano

·3 min de leitura
  • Escassez de casas com preço acessível nos Estados Unidos ressalta divisão intergeracional do país

  • Chamadas de "starter homes", ou casa iniciais, esse tipo de habitação costuma ser menor e mais barata

  • Como tiveram mais tempo para investir no mercado imobiliário, boomers estão adiando os planos de casa própria das gerações mais novas

O típico baby boomer americano quer apenas se aposentar e se mudar para uma casa menor. É o tipo de "redução" que faz sentido para realmente aproveitar a vida dos anos 60 em diante. No entanto, uma escassez histórica não apenas de moradias, mas de casas iniciais - geralmente mais baratas e destinadas a pessoas que estão em busca do primeiro lar – está colocando os boomers da classe média contra seus pares ricos e até mesmo a geração mais nova.

A oferta de casas iniciais dos EUA - propriedades com 1.400 pés quadrados ou menores - está no nível mais baixo em 50 anos. Enquanto as casas iniciais representavam 40% da construção em 1980, representaram apenas 7% da construção em 2019.

Leia também:

Isso deixou o mercado imobiliário despreparado para a onda de aposentadorias da era pandêmica. Pelo menos 1,7 milhão de pessoas se aposentaram antes do previsto devido à pandemia, de acordo com o Centro Schwartz de Análise de Política Econômica. Simplificando, mais americanos aposentados estão lutando por um estoque menor de casas iniciais – exatamente o que os boomers precisam para atender a seus objetivos de redução.

À medida que americanos mais velhos procuram reduzir o tamanho, eles enfrentam intensa competição com uma geração que começa a se aventurar no sonho da casa própria. Os millennials estão em seu melhor momento para a formação de famílias, o que causa um aumento na demanda por casas. Como eles ainda não têm propriedades para vender, eles estão principalmente interessados ​​em casas iniciais menos caras.

Como Lawrence Yun, economista-chefe da Associação Nacional de Corretores, disse ao The Wall Street Journal, "os jovens querem aumentar o tamanho, e a geração mais velha está querendo diminuir". Ele observou que a redução representou cerca de 28% das transações em 2020, e a maioria delas envolveu compradores com 55 anos ou mais. Com mais dinheiro no bolso, os boomers estão vencendo guerras de lances contra a geração mais jovem.

A escassez está apenas piorando o mercado para as duas gerações. As guerras de lances deixaram os jovens americanos lutando para comprar suas primeiras casas e colher os benefícios do aumento do valor das casas. Ao mesmo tempo, há americanos aposentados que não conseguem acompanhar a alta dos preços das casas iniciais estão permanecendo em suas propriedades. O fato de alguns boomers não poderem vender e reduzir o tamanho enquanto seus colegas estão abocanhando casas com ofertas em dinheiro é representativo de uma diferença de riqueza intrageracional dos boomers.

Isso exacerbou o ciclo vicioso do mercado imobiliário. Os boomers detêm mais riqueza imobiliária do que qualquer outra geração. Ao permanecer em suas casas, o grupo está impedindo que um grande suprimento de casas existentes chegue ao mercado e produza um suprimento tão necessário. A geração X é incapaz de se mudar para as casas dos boomers, e os millennials não podem seguir atrás. O antigo ciclo habitacional foi interrompido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos