Boris Johnson promete esforços máximos para reduzir custo de vida

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na sede do Executivo, em Londres, em 28 abr. 2022 (AFP/Rob Pinney) (Rob Pinney)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu nesta terça-feira (3) que fará "todo o possível" contra o aumento do custo de vida, um desafio considerável nas eleições locais desta semana, mas a oposição criticou-o por estar "desconectado da realidade".

Durante uma entrevista à rede ITV, surge o caso de uma senhora de 77 anos, Elsie, que come apenas uma vez ao dia por causa do aumento do preço do aquecimento e que passa o dia no ônibus para tentar deixar sua conta o mais barata possível.

Diante disso, Boris Johnson, ex-prefeito da capital britânica, respondeu que, "de fato foi ele" que instituiu o passe que permite que idosos possam usar os transportes públicos em Londres de forma gratuita.

Johnson insistiu em que seu governo está fazendo "todo o possível" e "muitas outras coisas" para ajudar as famílias a enfrentarem o aumento do custo de vida, com um pacote de benefícios de 9 bilhões de libras (em torno de US$ 11,2 bilhões).

O premiê admitiu que "os impostos do contribuinte (...) não serão suficientes, imediatamente, para cobrir os custos de todos".

Para o deputado Jonathan Ashworth, responsável pelo Emprego no Partido Trabalhista, de oposição, essa resposta "mostra o quão desconectado da realidade esse primeiro-ministro narcisista está".

Na quinta-feira (5), acontecem as eleições locais na Inglaterra, na Escócia e no País de Gales, um teste para Johnson e seu Executivo conservador.

phz-mpa/gmo/jvb/zm/tt

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos