Botafogo é envolvido pelo Athletico e perde última vaga na Libertadores

O Botafogo não conseguiu repetir as boas atuações como visitante e viu a vaga na Libertadores escapar na última rodada com a derrota para o Athletico, por 3 a 0, na Arena da Baixada. O time foi ultrapassado pelos adversários que também brigavam pelo último lugar na competição continental e terminou em 11º lugar.

O alvinegro chegou à ultima rodada na oitava posição, dentro da zona de classificação para a pré-Libertadores. Precisava apenas da vitória para se garantir sem depender de ninguém. O empate e até a derrota também poderiam servir, mas aí dependeria dos outros resultados. Mas isso não aconteceu. No primeiro tempo, o Botafogo já tinha saído no lucro. O alvinegro até deu as cartas no início da partida ao encontrar um caminho pelo lado esquerdo. Por ali, saíram boas tramas com Jeffinho e Tiquinho Soares. Lucas Fernandes também encontrou liberdade para armar as jogadas.

Mas durou pouco. Logo, o Athletico tomou as rédeas da partida. Mas, até então, o goleiro Lucas Perri e a defesa deram conta do recado e seguraram uma sequência perigosíssima dos donos da casa. Além de contar com as finalizações ruins do adversário.

A partir dos 25 minutos do segundo tempo, o torcedor do Botafogo viu Alex Santana cabeceando para fora; Terans deixando os defensores no chão; Tchê Tchê salvando gol com o peito; bola pipocando na área e chute para fora de Vitor Roque.

Essa foi apenas a primeira sequência que desestabilizaria o Botafogo, que precisava da vitória para não depender de outros resultados e se garantir na Libertadores do ano que vem. Nos 45 primeiros minutos de jogo, ainda teve bola na trave de Terans, lençol de Vitinho e mais um gol perdido de Vitor Roque. O 0 a 0 era para ser comemorado naquele momento em que os resultados dos outros jogos ainda eram favoráveis ao alvinegro.

Mas bastou o árbitro apitar o início do segundo tempo para que o Athletico acabasse com as esperanças do Botafogo. Com domínio total do jogo, aos seis minutos abriu o placar após Adryelson cabecear contra o próprio gol a cobrança de escanteio.

O gol desestabilizou o time do Botafogo. O time até teve uma chance praticamente única com Jeffinho, que, sem marcação e quase na cara do gol, se atrapalhou com a bola e perdeu a chance. Na sequência, a defesa alvinegra bateu cabeça e deu sorte de ter sido marcado impedimento no lance do gol de Vitor Roque. O jovem atacante chegou a comemorar espantando a zica por não marcar há 16 partidas.

Logo depois, ele pôde festejar de verdade. Pelo lado direito, que virou uma avenida para os curitibanos, Vitinho passou pela defesa, tocou para Terans, que limpou a jogada, e Vitor Roque chutou rasteiro para garantir a fase de grupos da Libertadores.

Nessa altura do jogo, o São Paulo vencia o Goiás e estava levando a oitava vaga brasileira na competição internacional. Enquanto isso, Luís Castro mexeu no time para tentar algo. Matheus Nascimento tentou fazer a diferença, mas foi pouco. O jogo estava sob controle do Athletico, que poderia ter ampliado em pelo menos duas ocasiões, mas Lucas Perri impediu.

Por fim, o Fortaleza também fez seus gols contra o Santos e estava tomando a vaga do São Paulo. Naquele momento, só a virada daria a vaga ao Botafogo. Mas o time não tinha recursos para tanto. E ainda viu Erick fazer um golaço para fechar o placar na despedida de Felipão como técnico.