Botafogo é o time da Série A que mais trocou de técnico no ano; Fla e Vasco estão logo atrás

Pedro Medeiros
·1 minuto de leitura
Reprodução
Reprodução

Apesar do atraso na temporada, devido à paralisação pela pandemia do novo coronavírus, a dança das cadeiras dos técnicos segue frenética. Ao todo, foram 26 mudanças nos clubes da primeira divisão nacional no decorrer do ano. Três times cariocas estão no topo desse ranking.

Dentre os 20 clubes da Série A, ninguém fez tantas mudanças no comando técnico quanto o Botafogo. De janeiro até hoje, passaram por lá Alberto Valentim - que caiu ainda no Carioca -, Paulo Autuori e Bruno Lazaroni, ambos já no período do Brasileirão. Agora, o time é de responsabilidade do argentino Ramón Diaz, que foi apresentado esta semana.

Empatados em segundo lugar, com três treinadores, outros dois times do Rio: os rivais Vasco e Flamengo. Desde a saída do português Jorge Jesus ao término do Carioca, o clube tentou por meses o catalão Domènec Torrent, que saiu após sequências de goleadas. Na última terça, 10/11, Rogério Ceni, ex-Fortaleza, foi apresentado no CT do Ninho do Urubu.

Já o Cruz-maltino começou o ano com Abel Braga, que não resistiu ainda no Estadual. Durante o Brasileiro, passaram também Ramón Menezes e, agora, o lusitano Ricardo Sá Pinto.

Em contraponto aos coirmãos, o Fluminense mantém a sequência de trabalho, apesar de eliminações na Copa Sul-americana e do Brasil. Odair Hellmann segue à frente da equipe, que faz boa campanha no Nacional.

Curiosamente, os únicos times que não promoveram trocas no comando são justamente três tricolores: o já citado Flu, o Grêmio de Renato Gaúcho e o São Paulo de Fernando Diniz.