Botafogo anuncia a criação da primeira torcida LGBTQIA+ do clube

·2 minuto de leitura

O Botafogo anuncia nesta segunda-feira segunda-feira, Dia Internacional do Orgulho, a criação da primeira torcida LGBTQIA+ do clube. Através da campanha "Ninguém Cala Esse Nosso Amor", que fortalece ações contra a LGBTfobia, o alvinegro oficializa a organizada formada por integrantes da comunidade, além de manter uma faixa no Nilton Santos em todos os jogos como mandante.

Quem encabeça a torcida é Cristian Lins, fotojornalista de 47 anos que há seis inicou sua transição de gênero. Ele é o responsável por mobilizar a torcida LGBTQIAP+ do Botafogo a ocupar seu espaço nas arquibancadas.

— Para intergrar a torcida, primeiramente tem que ter o orgulho de existir, de ser quem você é. Depois, ter um amor pelo Botafogo e saber que vai estar no meio de uma família — afirma Lins, que também é criador do primeiro time de futebol formado por homens trans do Rio de Janeiro.

Enquanto os torcedores ainda não podem expressar seu orgulho nos estádios devido à pandemia, num primeiro momento a ação tem como objetivo disseminar a mensagem do respeito e tolerância no esporte. Infelizmente, agressões físicas e verbais contra pessoas LGBTQIAP+ ainda marcam o ambiente do futebol e o apoio dos clubes à causa é importante para intensificar o debate neste meio.

Faixa no estádio

Porém, é importante que essa manifestação de apoio não fique restrita penas ao dia 28 de julho. Por isso, após a partida entre Botafogo e Vitória na próxima quarta-feira, pela Série B, as camisas utilizadas em campo e autografadas pelo elenco serão leiloadas. Todo o lucro obtido com a ação será revertido para instituição de apoio a pessoas LGBTQIAP+, que oferecem moradia, alimentação e assistência social a este grupo vulnerável.

— A gente tenta viver realmente o que a gente fala, e não somente tentar usar a inclusão e diversidade como uma ferramenta de marketing. O futebol é uma das áreas da sociedade onde a LGBTfobia e o desprepeito pela inclusão e diversidade está mais naturalizado. É a área certa para a gente trazer essa conversa e jogar luz a esses problemas, gerando debate — afirma Juan Katz, diretor de marketing da GSK Consumer Healthcare, detentora da Centrum, patrocinadora do Botafogo.

A marca apoia a ação e doará à torcida LGBTQIA+ uma faixa de 20 metros de extensão, que ficará estendida na arquibancada do estádio.

— É papel do Botafogo dar visibilidade e apoio a uma luta tão significativa: o direito das pessoas amarem quem elas quiserem. Ninguém pode calar o amor de ninguém. Temos muito orgulho em abraçar a maior diversidade possível de botafoguenses — diz o gerente de negócios do clube, Caio Araújo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos