Botafogo cria chances, mas fica no empate com o lanterna Goiás: 0 a 0

Bruno Marinho
·2 minuto de leitura
Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo
Foto: Luiza Moraes / Agência O Globo

O Botafogo teve méritos contra o Goiás. Assumiu a responsabilidade de buscar o resultado atuando em casa, contra o lanterna do Campeonato Brasileiro. Amassou o adversário no campo de defesa, especialmente no primeiro tempo, e conseguiu converter a posse de bola em finalizações: 15, apenas antes do intervalo. Mas dois adversários foram insuperáveis. O time esbarrou na boa atuação do goleiro Tadeu e nos erros na hora do chute. O resultado foi que não saiu do 0 a 0 no Nilton Santos.

O desempenho, ao mesmo tempo que agrada, gera frustração. Foram dois pontos perdidos que podem fazer falta após a 38ª rodada. Depois da partida, a equipe chegou a 19 e abriu três de vantagem em relação à zona de rebaixamento. O Botafogo é agora o 14º colocado.

Após o intervalo, a superioridade alvinegra diminuiu. O Goiás voltou melhor para o segundo tempo e trouxe um pouco mais de igualdade ao jogo. Mas na primeira etapa, o Esmeraldinho não viu a cor da bola. Retrancado, teve dificuldades para sair jogando. A marcação alta dos cariocas funcionava. Mas diante da defesa plantada do Goiás, a solução foi exagerar nas finalizações da entrada da grande área. A maior parte estourou nos zagueiros adversários.

Se for preciso individualizar a responsabilidade pelo fato de o bom volume de jogo do Botafogo não ter sido convertido em gol, que Pedro Raul levante a mão e receba o fardo. O centroavante tentou quatro finalizações. Uma delas foi em ótima condição. A bola foi para fora e só restou ao jogador lamentar.

Para o goleiro Tadeu, do Goiás, não restam cobranças, apenas elogios. O jogador fez ao menos quatro defesas importantes que mantiveram o 0 a 0 no placar. A última em um chute de Babi.

— Sabíamos que era um jogo importante, para tentar vencer. Tivemos paciência para jogar. Mas teve o mérito dele também — lamentou o goleiro Diego Cavalieri.