Boulos: Bolsonaro privatizou o Brasil para o centrão

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Guilherme Boulos (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Guilherme Boulos (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
  • Boulos: Bolsonaro privatizou o Brasil para o centrão

  • "Jair Bolsonaro é um genocida, uma figura desumana, que tem vocação ditatorial", disse

  • Em entrevista ao portal UOL, ele falou sobre a importância de derrotar o bolsonarismo e formar uma bancada parlamentar progressista

O pré-candidato do PSOL a deputado federal por São Paulo, Guilherme Boulos, acusou, durante entrevista ao portal UOL, o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) de “privatizar o Brasil para o centrão”.

"Precisamos ser honestos, porque o centrão sempre participou dos governos federais, até durante os governos progressistas, mas o que o Bolsonaro fez foi privatizar o Brasil para o centrão. Hoje, quem governa o país, de fato, é o centrão”, avaliou.

Durante a entrevista, Boulos falou sobre a importância de derrotar o bolsonarismo nas eleições de outubro deste ano, além de formar uma bancada parlamentar progressista.

"Estamos em uma encruzilhada histórica. Jair Bolsonaro é um genocida, uma figura desumana, que tem vocação ditatorial. Eu apoio o Lula, porque ele é o único candidato capaz de derrotar o bolsonarismo em 2022. Precisamos encerrar esse pesadelo”, disse.

"Não adianta eleger o Lula e manter uma figura como o Arthur Lira na Presidência da Câmara (dos Deputados), por exemplo. Precisamos de um parlamento mais progressista e devemos salientar a importância das eleições municipais também. Com a minha candidatura, eu quero contribuir neste sentido”, acrescentou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos