Boulos telefona para Covas, reconhece a derrota e o parabeniza pela prefeitura de São Paulo

João Conrado Kneipp
·1 minuto de leitura
Sao Paulo's mayoral candidate for the Socialism and Freedom Party (PSOL), Guilherme Boulos, gestures during a campaign rally in Sao Paulo downtown, Brazil, on November 18, 2020. - The Brazilian municipal runoff election will take place on November 29. Left-wing candidate Guilherme Boulos won on November 15 a surprise pass to the second round, where he will face current Mayor Bruno Covas. (Photo by Nelson ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Boulos reconheceu a derrota e ligou para Bruno Covas. (Foto: NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

Com a apuração ainda em andamento, o candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos, telefonou para o tucano Bruno Covas (PSDB) e o parabenizou pela reeleição em segundo turno.

O anúncio da vitória foi feito por volta das 18h45, de acordo com a apuração do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Com 96,5% das urnas apuradas, Covas tem 59,38% dos votos contra 40,62% de Boulos.

Com a vitória, Covas seguirá no comando da capital paulista, herdada por ele em janeiro de 2018 após João Doria (PSDB) — de quem era vice nas eleições de 2016 — deixar o cargo para assumir o governo estadual.

O vice-prefeito será Ricardo Nunes, que fez poucas aparições durante a campanha. Vereador pelo MDB, Nunes possui suspeitas que pesam contra ele como suas relações com as creches conveniadas e o registro de violência doméstica feito em 2011 pela esposa de Nunes

Durante a votação neste domingo (29), Covas prometeu que vai governar durante os quatros anos de mandato. “Quero ser reeleito para entregar o cargo no dia 1° de janeiro de 2025” disse, ao votar acompanhado de Doria e correligionários do PSDB.

Leia também

Com a reeleição, o tucano confirma sua vitória em primeiro turno, quando obteve 32,85% dos votos válidos, frente aos 20,24% de Boulos.

As últimas pesquisas Ibope e Datafolha, divulgadas no sábado (28), às vésperas do segundo turno, projetavam uma vitória de Covas. No Ibope, o tucano aparecia com 57% dos votos contra 43% do psolista, enquanto no Datafolha a vantagem era ligeiramente menor: 55% contra 45%.