Braço da OMS nas Américas alerta que distúrbios de saúde mental por Covid são 'epidemia silenciosa'

·1 min de leitura
Ação de prevenção contra a Covid-19 da UBS Paineiras de Diadema no Jd. Campanario, em SP: Equipe orienta as pessoas sobre prevenção e distribui máscaras (13-8-2020).

Autoridades da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, fizeram um alerta nesta terça-feira sobre problemas relacionados à saúde mental em tempos de pandemia do novo coronavírus. Segundo Carissa Etienne, diretora-geral da Opas, os distúrbios relacionados à saúde mental são uma "epidemia silenciosa" que afeta a região.

— Temos uma crise de saúde mental na nossa região como nunca vimos antes. Distúrbios do tipo são uma epidemia silenciosa que já afetava as Américas bem antes da Covid-19 — disse Etienne, em coletiva de imprensa on-line.

De acordo com a diretora da Opas, países como Estados Unidos, Brasil e México são os mais impactados pela Covid-19 em relação à saúde mental:

— Metade dos adultos desses países estão estressados por causa da pandemia. Muitos estão usando drogas e álcool, o que pode gerar um ciclo vicioso para as doenças mentais.

A Opas também chamou atenção durante a coletiva para o alto número de mortes em decorrência do coronavírus nas Américas. Desde o começo da pandemia, são mais de 400 mil óbitos, o que significa 64% do total de vítimas fatais no mundo, disse a organização.

— Nossa região continua carregando a maior carga da doença do coronavírus globalmente, com 55% dos novos casos reportados na semana passada. As Américas têm aproximadamente 13% da população mundial, mas 64% de todos as mortes reportadas — alertou a diretora da Opas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos