Bradesco aumenta lucro em 34,5% no terceiro trimestre, para R$ 6,76 bilhões

·3 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 30.08.2016 - Fachada do banco Bradesco, na capital paulista. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 30.08.2016 - Fachada do banco Bradesco, na capital paulista. (Foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Bradesco registrou lucro líquido de R$ 6,767 bilhões no terceiro trimestre de 2021. O resultado representa um crescimento de 34,5% na comparação com igual período do ano passado e de 7,1% em relação ao segundo trimestre do ano.

De acordo com o banco, o terceiro trimestre foi marcado pela forte recuperação dos resultados das operações de seguros, que evoluíram mais de 100% no período, motivados pela redução da frequência dos eventos relacionados à Covid-19.

A carteira de crédito do Bradesco chegou a R$ 773,3 bilhões no fim de setembro, alta de 16,4% na comparação anual, e de 6,5% ante junho de 2021.

Destaque para a forte aceleração da carteira de pessoas físicas, que apresentou evolução de 24,7% em 12 meses e de 6,3% no trimestre, para R$ 303,4 bilhões, impulsionada pelas operações de financiamento imobiliário, cartão de crédito e crédito consignado. Na carteira de pessoas jurídicas, as operações de PME (pequenas e médias empresas) evoluíram 27,8% no ano e 9,1% no trimestre.

O resultado levou o banco a revisar sua projeção para o crescimento da carteira de crédito em 2021, de um intervalo de 9% a 13% para algo entre 14,5% e 16,5%.

"Os números demonstram nossa capacidade de reagir rapidamente às mudanças de cenário. A recuperação da economia com o arrefecimento da pandemia trouxe de volta a demanda do cliente para novos negócios, investimentos e serviços", afirmou o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari Jr., em comunicado.

Lazari considerou que o ambiente macroeconômico foi positivo de modo geral nos últimos meses. "Apesar de algumas incertezas, quando olhamos pelo retrovisor, percebemos que a pandemia ficou para trás", afirmou o executivo. "A atmosfera das agências, que voltaram a trabalhar com 100% do quadro em regime presencial, mudou completamente, há mais demanda, interesse e conversa sobre negócios".

A receita de prestação de serviços da instituição financeira alcançou R$ 8,8 bilhões no período, um aumento de 7,8% ano contra ano, e uma evolução de 4,1% na margem.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) foi de 18,3%, evolução de 5,4 pontos percentuais em bases anuais, e de 0,1 ponto ante o trimestre anterior.

Já a taxa de inadimplência encerrou o trimestre em 2,6%, contra 2,3% há um ano, e 2,5% no segundo trimestre.

A provisão para devedores duvidosos alcançou R$ 3,4 bilhões no trimestre, queda de 39,9% na comparação anual, e de 3,7% ante junho de 2021.

"Há um combo conhecido de riscos, composto de fiscal, inflação, PIB e aumento da concorrência. Os desafios mudaram, mas são igualmente intensos. Vamos nos posicionar à medida que o cenário para o ano que vem for se consolidando. A inadimplência e a política de crédito vão continuar sendo pontos de atenção e critério", comentou o presidente do Bradesco.

*

RAIO-X | BRADESCO

Fundação: 1943, em Marília (SP)

Lucro líquido no 3º trimestre de 2021: R$ 6,767 bilhões

Agências: 3.030

Funcionários: 87.736

Principais concorrentes: Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Santander, Caixa Econômica Federal

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos