Brasil aplicou mais de 7 milhões de doses de vacina contra Covid-19

·2 minuto de leitura
Cars line up at a drive through vaccination center at the Pacaembu Stadium in Sao Paulo, Brazil, on February 9, 2021. - Brazil's regulators gave conditional approval for Sinovac Biotech Ltds shot, CoronaVac, clearing the way for general use. Elderly and at risk members of the population have been given priority.  (Photo by Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)
Cars line up at a drive through vaccination center at the Pacaembu Stadium in Sao Paulo, Brazil, on February 9, 2021. - Brazil's regulators gave conditional approval for Sinovac Biotech Ltds shot, CoronaVac, clearing the way for general use. Elderly and at risk members of the population have been given priority. (Photo by Cris Faga/NurPhoto via Getty Images)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 554 mortes pela Covid-19 e 29.035 novos casos da doença neste sábado (20). São, ao total, 246.560 óbitos e 10.167.300 pessoas infectadas pelo coronavírus Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

Os dados do país são fruto de colaboração entre Folha, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Além dos dados diários, o consórcio também calcula a chamada média móvel. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução da doença porque atenua números isolados que fujam do padrão. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete.

De acordo com os dados coletados até as 20h, a média de mortes nos últimos sete dias é de 1.038. Há uma semana, a média era de 1.105, o que representa situação de estabilidade.

Leia também

O consórcio também atualizou informações repassadas sobre a vacinação contra a Covid-19 nos estados e no DF.

Foram aplicadas no total 7.025.961 doses de vacina (5.853.753 da primeira dose e 1.172.208 da segunda dose), de acordo com as informações disponibilizadas pelas secretarias de Saúde.

As vacinas disponíveis no Brasil são a Coronavac, do Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac, e a Covishield, imunizante da Fiocruz desenvolvido pela parceria entre a Universidade de Oxford e a AstraZeneca.

​A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorre em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​