Brasil assinará novo contrato com a Pfizer para compra de mais 100 milhões de doses, diz Queiroga

·2 minuto de leitura
Brazilian Health Minister Marcelo Queiroga holds hands with Ze Gotinha, the mascot of the vaccination campaign in Brazil, upon the arrival of a container with 1,000,000 doses of the Pfizer-BioNTech vaccine against COVID-19 at the Viracopos International Airport in Campinas, some 100 km from Sao Paulo, Brazil on April 29, 2021. - Brazil received Thursday a first lot of 1,000,000 doses of the Pfizer-BioNTech vaccine developed by US drugmaker Pfizer and BioNTech of Germany. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Marcelo Queiroga, ministro da Justiça, afirmou que Brasil está na iminêcia de assinar novo contrato com a Pfizer (Foto: Nelson Almeida/AFP via Getty Images)
  • Queiroga disse que Brasil deve assinar mais um contrato com a Pfizer

  • Ministério da Saúde pretende comprar outras 100 milhões de doses da vacina

  • Brasil teria acordo para receber 200 milhões de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19

O Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil deve assinar um novo contrato de compra de vacinas da Pfizer, para a aquisição de mais 100 milhões de doses. Dessa forma, o país teria 200 milhões de doses garantidas do imunizante contra a covid-19.

A declaração foi feita nesta segunda-feira (3), durante fala de Queiroga na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Segundo o ministro, o contrato está “na iminência de ser fechado”.

“Um contrato com a Pfizer já na iminência de ser fechado, um novo contrato com a Pfizer para 100 milhões de doses da vacina. 100 milhões. Ou seja, o Brasil terá à disposição da sua sociedade, 200 milhões de doses da vacina Pfizer”, declarou Marcelo Queiroga.

Leia também

O primeiro contrato prevê a chegada de 100 milhões de doses até setembro de 2021. Segundo o ministro, o segundo contrato fala em 35 milhões de doses em outubro deste ano.

“Isso (200 milhões de doses) equivale a imunizar cerca de metade da população ainda esse ano. Porque esse segundo contrato prevê que no mês de outubro já tenha 35 milhões de doses da Pfizer. Eu estou tranquilo quanto à essa previsão”, declarou

Primeiro lote de vacinas da Pfizer

Em 29 de abril, o Brasil recebeu o primeiro lote de vacinas da Pfizer, com um milhão de doses. Nesta segunda-feira (3), o Ministério da Saúde começa a distribuição do imunizante, inicialmente apenas para as capitais do país.

O primeiro lote tem 499.590 vacinas, que devem ser usadas como primeira dose. O Ministério da Saúde orientou que devem ser imunizadas com o imunizante da Pfizer:

  • Pessoas com comorbidades

  • Gestantes e puérperas (que tiveram filho recentemente)

  • Pessoas com deficiência permanente

Apesar da orientação passada pela pasta, estados e municípios têm autonomia para seguirem o calendário de vacinação local.

A vacina da Pfizer deve ser armazenada em refrigeradores com temperatura entre -25ºC e -15ºC. Dessa forma, o imunizante pode ficar guardado por duas semanas. Nas salas de vacinação, onde ficam mantidas entre 2ºC e 8ºC, as vacinas duram cinco dias.

Pela dificuldade de armazenamento da vacina, apenas as capitais receberão a vacina Pfizer/BioNTech no primeiro momento. A distribuição será feita de forma proporcional entre os estados. São Paulo é o estado que mais receberá doses: 135 mil.

O segundo lote, com as outras 500 mil vacinas, será enviado aos estados para a aplicação da segunda dose, para que seja completada a imunização da população.