Brasil é o 5º país com mais ciberataques em 2021

·1 minuto de leitura
Foram mais de 9 milhões de ataques registrados no 1º semestre no país. Foto: Getty Images.
Foram mais de 9 milhões de ataques registrados no 1º semestre no país. Foto: Getty Images.
  • Foram mais de 9 milhões de ataques registrados no 1º semestre no país

  • Estados Unidos e Alemanha ficam à frente no ranking

  • Número registrado no período já é maior que o verificado no ano de 2020 inteiro

O Brasil é o 5º país que mais sofreu com ciberataques em 2021. O levantamento foi feito no relatório de Ameaças Cibernéticas da SonicWall, publicado na última quinta-feira (29).

Com 9,1 milhões de ataques registrados, o Brasil só ficou atrás de países como Estados Unidos (227,2 milhões), Reino Unido (14,6 milhões), Alemanha (11 milhões) e África do Sul (10,5 milhões).

O levantamento detectou que os ataques cibernéticos sofridos são em geral de ransomwares, um tipo de malware (software nocivo) que ameaça publicar os dados pessoais da vítima ou bloquear o acesso a eles, a menos que um resgate seja pago. No primeiro semestre de 2021, 304,7 milhões de ataques de ransomware foram registrados no mundo inteiro. O volume já ultrapassa o número de ciberataques registrados em 2020.

O estudo apontou que o governo foi o setor atingido pelos ransomwares, com 917% de aumento no número de ataques em comparação com o ano passado. Outros setores da sociedade também apresentaram aumento na quantidade de invasões, como educação (615%), saúde (594%) e varejo (264%).

De acordo com o relatório, 64% dos ataques são feitos por três tipos de ransomwares: Ryuk (infecta sistemas de repartições e torna seus arquivos inacessíveis), Cerber (torna arquivos “reféns” via criptografia e pede resgate) e SamSam (explora vulnerabilidades do sistema para ganhar seu controle).

As informações são do Poder 360.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos