Brasil entra em acordo mundial de vacinas contra coronavírus, informa OMS

O Globo, com agências internacionais
·1 minuto de leitura

RIO - O Brasil apresentou uma manifestação oficial de interesse em participar do programa de financiamento chamado 'COVAX Facility', mecanismo projetado para garantir acesso rápido e equitativo global às vacinas contra a Covid-19, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira (15).Análise:Sem ministro há dois meses, Saúde navega às cegas e sem comandante na pandemiaAlém do governo brasileiro, outros 74 países submeteram um pedido oficial para acelerar o acesso ao imunizador contra o novo coronavírus. No entanto, a OMS destacou que todos custearão as vacinas com seus próprios orçamentos de finanças públicas. Entenda:Quais são as etapas para uma vacina contra o coronavírus chegar à populaçãoOutros 90 países de baixa renda poderão ser apoiados por meio de doações voluntárias ao Compromisso de Mercado Avançado (AMC) da Gavi. Juntos, esses governos representam mais de 60% da população mundial. Alerta:Brasil não atingiu 'imunidade de rebanho', diz braço da OMS nas Américas— O COVAX é a única solução verdadeiramente global para a pandemia da Covid-19. Mesmo para os países que conseguem garantir seus próprios acordos com os fabricantes de vacinas, esse mecanismo representa, por meio de seu portfólio de líder mundial de candidatos a vacinas, um meio de se reduzir os riscos associados a candidatos individuais que não demonstrem eficácia — , afirmou Seth Berkley, presidente da Gavi, a Aliança para Vacinas. O GLOBO procurou o Ministério da Saúde e o Itamaraty para obter mais detalhes sobre o acordo, mas ainda não recebeu respostas.