Brasil manifesta 'decepção' por saída dos EUA do Acordo de Paris

O ministro de Relações Exteriores Aloysio Nunes Ferreira

O Brasil manifestou "profunda preocupação e decepção" com a saída dos Estados Unidos do Acordo de Paris, anunciada nesta quinta-feira pelo presidente americano, Donald Trump, informou o Itamaraty em um comunicado oficial.

"O governo brasileiro recebeu com profunda preocupação e decepção o anúncio no dia de hoje, 1° de junho, de que o governo norte-americano pretende retirar-se do Acordo de Paris sob a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima e 'renegociar' sua reentrada", diz o texto.

A chancelaria informou, ainda, que "preocupa o impacto negativo de tal decisão e cooperação multilateral para o enfrentamento de desafios globais".

O Itamaraty ratificou por carta estar "comprometido" com a implementação do Acordo de Paris, firmado por 195 países em dezembro de 2015.

"O combate à mudança do clima é processo irreversível, inadiável e compatível com o crescimento econômico", ressaltou o comunicado firmado pela chancelaria brasileira.

O presidente Trump anunciou nesta quinta-feira, na Casa Branca, a saída dos Estados Unidos do Acordo que estabelece as linhas de ação e as metas dos países participantes com vistas a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

"A partir de hoje, os Estados Unidos cessarão toda a implementação do Acordo de Paris não vinculativo e os encargos financeiros e econômicos draconianos que o acordo impõe ao nosso país", afirmou Trump em pronunciamento no jardim da Casa Branca", disse Trump durante cerimônia nos jardins da Casa Branca.

No entanto, o presidente tentou deixar a porta aberta, ao afirmar que seu governo está disposto a negociar um novo acordo.

Como resultado desta decisão, Trump disse que todos os compromissos não vinculantes, adotados pela adesão ao acordo cessarão imediatamente.