Brasil não está maduro para legalização das drogas, afirma a candidata Janaína Lima

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A guerra às drogas precisa ser revista, mas o Brasil não está pronto para regulamentar esse mercado, afirma Janaína Lima (MDB). A vereadora de São Paulo concorre a uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições deste ano.

Janaína foi a primeira entrevistada desta quinta-feira (22) na série de lives da Folha de S.Paulo com candidatos a deputado federal por São Paulo. As transmissões, que começaram esta semana, acontecem pelo perfil do jornal no Instagram.

Ela citou o modelo de Portugal como um exemplo de sucesso na regularização de drogas. Em relação ao aborto, posicionou-se contra a ampliação do direito além dos casos já previstos.

A candidata está em seu segundo mandato na Câmara de Vereadores da capital paulista e faz parte do movimento liberal Livres.

No começo deste ano, ela foi expulsa do Novo, pelo qual foi eleita em 2016 e 2020, após se envolver em uma briga com Cris Monteiro, então colega de partido.

A discussão começou durante a votação da reforma da previdência e evoluiu para agressões físicas. Ambas registraram boletim de ocorrência. Na ocasião, Janaína afirmou que agiu "em legítima defesa do início ao fim".

"Isso aconteceu, é um evento superado. Ficaram os aprendizados", afirma a candidata. "Maturidade política, maturidade na vida, a gente aprende, conquista."

O legado do seu mandato, segundo ela própria, é o Marco Legal da Primeira Infância. Segundo Janaína, a lei possibilitou a abertura de mais de 85 mil vagas em creche, a realização de cirurgias intrauterinas e o aumento de consultas no pré-natal.

A candidata classificou as emendas do relator de "completo absurdo" e disse ser "inadmissível" fazer a gestão do recurso público "sem nenhuma transparência e prestação de contas". A solução, segundo ela, pode passar pela revisão do modelo de governo, para um semipresidencialismo ou parlamentarismo.

Questionada sobre a revogação da reforma trabalhista, a candidata disse que é "totalmente contra". A possibilidade é aventada pelo presidenciável líder nas pesquisas, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"A reforma trabalhista trouxe grandes avanços para o país", afirma Janaína. "Resgatou a segurança jurídica, a confiabilidade e fez com que a geração de emprego voltasse a acontecer."

PRÓXIMAS LIVES

13h - Patrícia Zanella

14h - Agnaldo Araújo

14h30 - Pai Airton

15h30 - João Dado

17h - Kim Kataguiri