Brasil não é mais a 13ª economia do mundo, como disse Lula em entrevista e​​m MG

Captura de tela de transmissão da entrevista concedida pelo candidato e ex-presidente Lula à Rádio Super, em 17 de agosto de 2022 (Foto: YouTube / Reprodução)
Captura de tela de transmissão da entrevista concedida pelo candidato e ex-presidente Lula à Rádio Super, em 17 de agosto de 2022 (Foto: YouTube / Reprodução)
  • Nesta quarta-feira (9), o candidato ao Planalto e ex-presidente Lula participou de uma entrevista com a Rádio Super de Minas Gerais

  • Na conversa, o candidato falou sobre a posse do novo presidente do TSE ocorrida ontem, de seus planos – caso ganhe as eleições –, e mencionou dados econômicos

  • Mas Lula errou ao dizer que o Brasil voltou a ser a 13ª economia do mundo. Atualmente, o país não ocupa mais essa posição, e sim a 10ª

Nesta quarta-feira (17), o candidato ao Palácio do Planalto e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) participou de uma entrevista na Rádio Super, de Minas Gerais.

O ex-mandatário tratou sobre temas como a posse de Alexandre de Moraes como novo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), falou sobre seus planos para o país e comparou informações econômicas atuais com dados do período em que o PT governou o Brasil.

Confira a verificação do Yahoo! Notícias sobre a declaração do candidato:

Economia brasileira

"A gente [o Brasil] tinha virado a sexta economia do mundo. Eu pensei que a gente ia virar quinta, que ia virar quarta [...]. Olha o que aconteceu, é que houve um retrocesso nesse país, nós voltamos a ser a 13ª economia do mundo"

Candidato e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista à Rádio Super, em 17 de agosto de 2022

De fato, o Brasil chegou a ocupar a posição de sexta economia do mundo em 2011, quando Dilma Rousseff (PT) já havia sido eleita presidenta do Brasil, segundo a consultoria britânica Centro de Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR, na sigla em inglês).

Contudo, a informação de que o Brasil voltou a ocupar a posição de 13ª economia do mundo é enganosa. Embora o país tenha estado em 13º no penúltimo levantamento – conforme classificação produzida pela agência de classificação de risco Austin Rating –, atualmente, o Brasil está na 10ª colocação.

O Brasil apresentou um melhor resultado do que países, como:

  • Rússia

  • Coreia

  • Austrália

  • Irã

  • Espanha