Brasil perde competitividade com câmbio e pandemia

·1 min de leitura
Photo-illustration with Real (BRL) and American Dollar (USD) bills. The price of the American dollar against the Brazilian real was the highest since December 2018 on March 22, 2019. The dollar is sold at R$ 3.9011, up 2.64%, reflecting the arrest of former Brazilian President Michel Temer. (Photo by Igor Do Vale/NurPhoto via Getty Images)
Com alta do dólar e queda de receitas, equipes brasileiras têm dificuldades em transações no mercado internacional. Foto: (Igor Do Vale/NurPhoto via Getty Images)

Ainda que as equipes brasileiras sigam dominando o cenário futebolístico na América do Sul, o faturamento em dólar dos clubes de futebol do Brasil caiu consideravelmente no último ano.

O baque financeiro que vem sendo sentido nos últimos anos fica evidente quando se compara ao faturamento na moeda norte americana no ano de 2012, auge das equipes brasileiras, com o de 2020. No último ano, foram 672 milhões de dólares faturados, enquanto na medição de 2012, as 20 equipes que mais faturaram no Brasil arrecadaram 1,6 bilhão de dólares. Isso, de acordo com um levantamento feito pela Sports Value, empresa especializada nas finanças esportivas.

Leia também:

Dois pontos devem ser ressaltados neste levantamento: primeiro, as transferências de jogadores não são consideradas, apenas premiações de competições disputadas e direitos de transmissão de campeonatos. O do Campeonato Brasileiro de 2020, por exemplo, por ter sido finalizado apenas no mês de fevereiro deste ano, foi recebido em no ano de 2021.

A pandemia gerada por causa do coronavírus é fator primordial para esta queda, mas não é o único. Em 2019, o faturamento foi de 1,2 bilhão de dólares, mas a desvalorização da moeda nacional em relação ao dólar também contribui para a diminuição.

No ano de 2012, a cotação era de R$2,04 para cada dólar americano, enquanto, no fim de 2020, o câmbio era de R$5,19. Mais que o dobro. 

Fator não considerado no estudo feito, as transferências de jogadores mantém o Brasil no topo. Foram 7300 negociações feitas entre os anos de 2011 e 2020.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos