Brasil reconhecerá passaportes venezuelanos vencidos

O chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, no dia 2 de julho de 2019 no Palácio do Itamaraty.

O Brasil começará a reconhecer como válidos os passaportes venezuelanos vencidos por até cinco anos, informou nesta segunda-feira a assessoria de comunicação do Itamaraty.

A medida responde a um pedido da delegação diplomática que representa em Brasília Juan Guaidó, líder opositor venezuelano reconhecido como presidente interino por mais de cinquenta países, que alega dificuldades para a renovação do documento.

"Trabalhamos com todos os países pelos direitos" dos venezuelanos, escreveu Guaidó no Twitter, no qual agradeceu o governo de Jair Bolsonaro "pelo apoio".

A delegação de Guaidó, liderada por María Teresa Belandria, divulgou nesta segunda-feira uma carta do chanceler Ernesto Araújo que informa que as autoridades migratórias já foram notificadas da decisão.

"Os serviços consulares da Venezuela não existem para os venezuelanos no Brasil", afirmou Belandria, reconhecida pelo governo de Jair Bolsonaro como embaixadora da Venezuela.

Belandria revelou ter recebido constantes denúncias de cidadãos que não foram atendidos pelos consulados nas cidades brasileiras. "A ditadura segue ocupando os consulados", declarou em referência ao governo de Nicolás Maduro.

Ao menos 4 milhões de pessoas migraram da Venezuela, que enfrenta uma grave crise política, econômica e social, segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur).

Na lista de países que recebem venezuelanos, o Brasil ocupa o quinto lugar, com 168 mil imigrantes, a maioria chegada pela fronteira terrestre com o estado de Roraima.