Brasil registra 1.206 mortes por Covid-19 em 24h, segundo boletim de imprensa

·2 minuto de leitura

RIO — O Brasil registrou 1.206 mortes nas últimas 24 horas, elevando para 218.918 o total de vidas perdidas no Brasil. A média móvel foi de 1.058 mortes, 6% maior se comparada com o cálculo de 14 dias atrás. No entanto, esta é a maior média móvel desde o dia 4 de agosto, quando foram registrados 1.066 óbitos em média.

Foram contabilizados 63.626 novos casos, totalizando 8.936.590 infectados pelo vírus. A média móvel foi de 51.550 diagnósticos positivos, 6% menor se comparada com o cálculo de 14 dias atrás.

Mais de 840 mil pessoas já receberam a primeira dose de uma das vacinas aprovadas no país contra a Covid-19. De acordo com os dados divulgados pelo Distrito Federal e 17 estados, 844.015 doses do imunizante já foram aplicadas. Isto representa 0,52% de toda a população brasileira acima de 18 anos. As informações são do boletim das 20h do consórcio de veículos de imprensa.

Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Roraima, Rio Grande do Sul e São Paulo divulgaram dados de vacinação.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil é de 1,08, de acordo com levantamento do Imperial College de Londres, divulgado nesta terça-feira (26). O índice representa uma queda em relação ao relatório divulgado no dia 19 de janeiro, quando o Rt estava em 1,20, mas ainda é considerado alto.

A taxa atual significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 108. O Rt acima de 1, apresentado pelo Brasil há semanas, indica que a doença avança sem controle no país. Quando fica abaixo de 1, aponta tendência de estabilização.

A universidade britânica também projeta que o Brasil deve registrar 7.540 óbitos pelo novo coronavírus esta semana, enquanto na anterior foram contabilizadas 6.997 mortes.