Brasil registra 3.120 mortes e 76.085 casos em 24 horas, mostra consórcio de imprensa

·3 minuto de leitura

RIO — O Brasil registrou 3.120 mortes por Covid-19 nesta terça-feira, totalizando 395.324 vidas perdidas para o novo coronavírus desde o começo da pandemia. A média móvel foi de 2.399 óbitos, 20% menor que o cálculo de duas semanas atrás. É o quinto dia em que há tendência de queda, após dez dias de estabilidade.

Nenhum estado apresentou média móvel de mortes com tendência de alta, apenas estabilidade ou queda. A diminuição foi mais acentuada no Amapá (-46%), Tocantins (-39%), Maranhão (-34%) e São Paulo (-31%)

Desde às 20h de segunda, 76.085 novos casos foram notificados pelas secretarias de saúde, totalizando 14.446.541 infectados pelo Sars-CoV-2. A média móvel foi de 56.522 diagnósticos positivos. Apesar do número elevado, que ocorre às terças após represamento de casos no fim de semana, ele foi 18% menor do que o cálculo de 14 dias atrás, mostrando que também há tendência de queda nos casos.

Também não foi registrada tendência de alta no número de casos nos estados, quando observadas as médias móveis. A queda foi maior no Norte, chegando a -43% no Acre, -41% no Amapá e -36% em Rondônia. Roraima não divulgou os dados de mortes ou casos do estado até o fechamento do consórcio.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Vinte e quatro estados atualizaram seus dados sobre vacinação contra a Covid-19 nesta terça-feira. Em todo o país, 30.259.475 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante, o equivalente a 14,29% da população brasileira. A segunda dose da vacina, por sua vez, foi aplicada em 13.989.783 pessoas, ou 6,61% da população nacional.

A taxa de transmissão (Rt) da Covid-19 no Brasil caiu para 0,93, de acordo com levantamento semanal do Imperial College de Londres, atualizado nesta terça-feira. O índice estava acima de 1, situação definida como "fora de controle", desde dezembro. Quando fica abaixo de 1, a taxa indica tendência de desaceleração do contágio.

No relatório divulgado na terça-feira passada, o Rt brasileiro estava em 1,06.

O índice atual significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 93. Dentro da margem de erro calculada pela universidade britânica, a taxa de transmissão brasileira pode variar de 0,80 até 0,95.

Essa é uma das principais referências para acompanhar a evolução epidêmica do Sars-CoV-2 no país. No entanto, especialistas costumam ponderar que é preciso acompanhar a taxa de transmissão por um período prolongado de tempo para avaliar cenários, levando em conta o atraso nas notificações e o período de incubação do coronavírus, que chega a 14 dias.