Brasil registra 612 mortes por Covid em 24 h e mais de 14 mil casos

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, 27.04.2021: COTIDIANO - CORONAVIRUS - Brasil registra 612 mortes por Covid em 24 h e mais de 14 mil casos. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)
***ARQUIVO***SAO PAULO, SP, 27.04.2021: COTIDIANO - CORONAVIRUS - Brasil registra 612 mortes por Covid em 24 h e mais de 14 mil casos. (Foto: Mathilde Missioneiro/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 612 mortes por Covid e 14.424 casos da doença, nesta sexta-feira (12). Com isso, o país chega a 610.935 vidas perdidas e a 21.940.950 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2.

O aumento considerável de mortes, em relação a dias anteriores, ocorreu pelo registro de 414 óbitos em São Paulo.

A secretaria de saúde de São Paulo afirmou que os dados trazem "um acumulado de diversas semanas epidemiológicas, que após as mudanças do sistema Sivep-gripe do Ministério da Saúde tinham ficado represados". Diz ainda ter questionado o ministério sobre haver instabilidade ou anormalidade no sistema e que a resposta teria sido de que haveria uma atualização.

O ministério, por sua vez, afirma que o sistema "não ficou fora do ar, mas apresentou pontuais instabilidades que vem sendo solucionadas diariamente. Sistemas de informação desse tipo necessitam de alterações e/ou correções rotineiras, conforme as necessidades de respostas da vigilância".

A média móvel de mortes teve queda de 17% em relação ao dado de duas semanas atrás. Variações de até 15% são tidas como um cenário de estabilidade. Agora, a média é de 260 óbitos por dia.

Já a média móvel de casos está estável e é de 11.381 infecções por dia.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Mesmo quem completou o esquema vacinal com as duas doses deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos