Brasil registra 881 novas mortes por coronavírus em 24 h e bate recorde

NATÁLIA CANCIAN

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Dados do Ministério da Saúde desta terça-feira (12) apontam que o Brasil registrou 881 novas mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, um novo recorde diário. Ao todo, são 12.400 óbitos confirmados pela doença.

O recorde anterior era de 751 novas mortes por Covid-19, de sexta (8). No dia seguinte, sábado (9), houve 730 novos óbitos, e o país ultrapassou a marca de 10 mil mortes pela doença.

Na semana passada, foram vários dias seguidos com mais de 600 óbitos novos por dia —600 na terça (5) , 615 na quarta (6), e 610 na quinta (7).

Na segunda (11), foram registradas 396 novas mortes por Covid-19, um número menor do que nos dias anteriores, mas a própria pasta aponta que uma redução é esperada aos fins de semana porque as equipes de saúde nos estados e municípios atuam em número menor.

O país também registrou 9.258 novos casos confirmados de Covid-19 no Brasil e tem, ao todo, 177.589 casos.

Segundo especialistas, os números reais devem ser maiores, já que há baixa oferta de testes no país e subnotificação.

Atualmente, o país tem 2.050 mortes ainda em investigação. Também soma 145 mil casos que aguardam resultados de exames —desse total, 50 mil estão em etapa de envio a laboratórios e 95 mil estão em análise.

O Ministério da Saúde não comentou o novo recorde. A pasta chegou a realizar uma coletiva técnica para comentar a evolução da epidemia e ações que estão sendo realizadas, mas encerrou o encontro cerca de dez minutos antes da divulgação dos novos dados.

Ao apresentar números anteriores, no entanto, o secretário substituto de vigilância em saúde, Eduardo Macário, frisou que há um aumento na curva de casos.

Um exemplo disso é que, em apenas um mês, os casos aumentaram cerca de sete vezes. Já as mortes cresceram nove vezes, apontou.

"É uma curva que ainda se caracteriza de forma ascendente principalmente nas últimas quatro semanas, o que mostra que estamos numa situação de bastante alerta em relação à transmissão", disse.

Para o secretário, o aumento ocorre tanto devido a uma maior velocidade na ocorrência de casos quanto devido a redução no número de testes represados no país.

Das 881 novas mortes confirmadas, 206 ocorreram nos últimos três dias. As demais são de casos que estavam em investigação e tiveram registros atualizados, informa o ministério.

O estado de São Paulo ainda lidera em registros da Covid-19, com 47.719 casos confirmados e 3.949 mortes. Em seguida, vem o Rio de Janeiro, com 18.486 casos e 1.928 mortes.

Na sequência, estão os estados do Ceará (18.412 casos e 1.280 mortes), Pernambuco (14.309 casos e 1.157 mortes) e Amazonas (14.168 casos e 1.098 mortes).

Dados do Ministério da Saúde apresentados nesta terça apontam ainda que já chega a 2.865 o total de municípios com casos confirmados da doença, o equivalente a 51% do total existente no país.

Cerca de 17,9% das cidades, ou 995 ao todo, também já tiveram mortes confirmadas para o novo coronavírus.

Para Macário, os dados mostram que há uma concentração nas regiões metropolitanas, ao mesmo tempo em que há uma tendência de interiorização no país.