Brasil registra 899 mortes por Covid em 24 horas e chega a seis dias com média acima de 2.000 óbitos

·2 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP. 31.03.2021 - Sepultadores, usando trajes de proteção, carregam caixão com vítima da Covid-19, iluminados por holofotes, no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo (SP). Devido ao grande numero de mortes, vítimas da Covid-19, a prefeitura decidiu estender o período para os sepultamentos até as 22h00. ( Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP. 31.03.2021 - Sepultadores, usando trajes de proteção, carregam caixão com vítima da Covid-19, iluminados por holofotes, no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo (SP). Devido ao grande numero de mortes, vítimas da Covid-19, a prefeitura decidiu estender o período para os sepultamentos até as 22h00. ( Foto: Lalo de Almeida/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 899 mortes por Covid-19 e 43.413 casos da doença, nesta segunda-feira (21). A média móvel de mortes completou seis dias seguidos acima de 2.000 óbitos por dia.

Aos domingos, segundas e feriados, os números da Covid no país costumam ser menores devido a atrasos de notificação nas secretarias de saúde, que trabalham com menos gente, em regime de plantão, aos finais de semana.

Com isso, o país chegou a 502.817 mortes pela Covid e 17.969.806 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

Nesta segunda, a média foi de 2.059, número 20% superior ao registrado há duas semanas. A média é um instrumento estatístico que busca suavizar variações nas notificações de mortes e casos. O valor é obtido pela soma do número de mortes dos últimos sete dias e a divisão do resultado por sete.

Foram atualizados os dados da vacinação contra a Covid-19 no Distrito Federal e em 23 estados.

O Brasil registrou 1.359.260 doses de vacinas contra Covid-19, nesta segunda. De acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde, foram 1.249.278 primeira doses e 109.982 segundas.

Os dados do país, coletados até às 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos