Brasil registra 95 mortes e mais de 11.900 casos de Covid em 24 horas

*ARQUIVO* BRAGANÇA PAULISTA, SP, 02.03.2021 - Equipe médica durante tratamento de paciente com Coronavírus na UTI do Hospital Universitário São Francisco, em Bragança Paulista (SP). Bragança Paulista, no interior de SP, está em situação crítica por conta do avanço da contaminação por Coronavírus. As UTIs locais estão lotadas e a cidade adota medidas restritivas. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*ARQUIVO* BRAGANÇA PAULISTA, SP, 02.03.2021 - Equipe médica durante tratamento de paciente com Coronavírus na UTI do Hospital Universitário São Francisco, em Bragança Paulista (SP). Bragança Paulista, no interior de SP, está em situação crítica por conta do avanço da contaminação por Coronavírus. As UTIs locais estão lotadas e a cidade adota medidas restritivas. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou, nesta terça-feira (8), 95 mortes por Covid e 11.970 casos da doença. Com isso, o país chega a 688.539 vidas perdidas e a 34.909.480 infectados pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

A média móvel de mortes agora é de 38 por dia, redução de 44% na comparação com o dado de duas semanas atrás. Já a média móvel de casos está em 4.402 por dia --queda de 13% no mesmo período.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do coronavírus.

As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Ao todo, 182.156.551 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil.

Somadas as doses únicas da vacina da Janssen, são 171.639.652 pessoas com as duas doses ou com uma dose da vacina da Janssen.

Assim, o país já tem 84,79% da população com a 1ª dose e 79,90% dos brasileiros com as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen.

Até o momento, 105.212.973 pessoas já tomaram a terceira dose, e 35.091.264, a quarta.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (PL), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes.