Brasil registra morte por varíola dos macacos, a primeira fora da África

Um homem de 41 anos infectado com varíola dos macacos morreu em Belo Horizonte, a primeira morte causada pela doença no Brasil e fora do continente africano, informaram autoridades do estado de Minas Gerais nesta sexta-feira (29).

"Um caso confirmado para Monkeypox [varíola dos macacos] que estava em acompanhamento hospitalar para monitoramento de outras condições clinicas graves evoluiu para óbito em 28/07", afirmou a Secretaria de Saúde de Minas Gerais em comunicado.

O paciente estava internado no Hospital Eduardo de Menezes da capital mineira.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil já registrou cerca de 1.000 casos de varíola dos macacos, a maioria deles nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

O primeiro foi detectado em 10 de junho, em um homem que havia viajado à Europa.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ativou, no sábado, o nível máximo de alerta, conhecido pela sigla USPPI (emergência de saúde pública de alcance internacional), para reforçar a luta contra a doença.

Desde o início de maio, mais de 18.000 casos foram detectados em todo o mundo, fora das regiões endêmicas da África, de acordo com a OMS. Até a confirmação da morte do brasileiro, cinco óbitos haviam sido notificados, todos no continente africano.

A doença já foi diagnosticada em 78 países. A maioria dos casos se concentra na Europa (70%) e nas Américas (25%), disse na quarta-feira o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Os primeiros sintomas da varíola dos macacos incluem febre alta, inflamação nos gânglios linfáticos e pústulas na pele.

lg/pt/raa/rpr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos