Brasil sofre apagão de dados oficiais e laboratórios relatam alta de Covid-19

·2 min de leitura
Tube for Swab test above of tags
Tube for Swab test above of tags

Em meio ao apagão de dados do Ministério da Saúde no dia 10 de dezembro, farmácias e laboratórios têm identificado alta de casos de Covid-19 e de gripe nos últimos dias.

No Grupo Fleury a procura por testes dobrou e a taxa de casos confirmados passou de 3% a 2% para 20%. Além disso, mais de 27 mil testes do vírus da influenza foram realizados, sendo 48% deles positivos, segundo informações do jornal O Estado de S.Paulo.

Situação semelhante ocorre com a rede Dasa, onde a taxa de positividade da Covid passou de 1,38% no dia 4 para 11,4% no dia 26. No caso da influenza, a positividade na rede subiu de 7% no dia 1º de dezembro para 24% no Natal.

Para José Eduardo Levi, virologista da Dasa, as festas de fim de ano e o avanço da variante ômicron podem ser uma das explicações para a alta dos casos.

O predomínio da ômicron é apontado, por exemplo, no monitoramento de variantes do Hospital Albert Einstein, no qual a ômicron representa 61,1% dos casos no mês de dezembro.

Leia também

Já a média móvel (dos sete dias anteriores) de exames confirmados de Covid relatados pelas secretarias estaduais da Saúde segue tendência distinta. Caiu de 8,7 mil no início de dezembro para 5 mil na terça-feira (27). Nesta época, tradicionalmente, as redes têm dificuldade de atualizar as bases de dados.

Apesar disso, o Ministério da Saúde informou em nota que as plataformas para registros de dados de infectados e vacinados foram restabelecidas na última semana e que trabalha para normalizar os serviços das demais o mais rápido possível.

Jessem Orellana, epidemiologista da FioCruz Amazônia, ressalta que os dados já tinham problemas, devido à baixa testagem e à vigilância genômica. “Dezoito meses após o início da pandemia, os sistemas deveriam estar aperfeiçoados, com erros que não deveria ter nessa altura do campeonato. Mas não ter o básico é o fundo do poço”.