Brasil supera 330 mil mortes por Covid; STF libera cultos e missas

·2 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Brasil registrou neste sábado 1.987 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 330.193, segundo dados do Ministério da Saúde.

Além disso, também foram contabilizados 43.515 novos casos de coronavírus, com o total de infecções no país avançando para 12.953.597, de acordo com o ministério.

O Brasil é o segundo país com mais casos e mortes por Covid-19, atrás somente dos Estados Unidos. No momento, porém, registra os números mais acentuados do mundo, sendo responsável por uma em cada oito infecções e uma em cada três mortes notificadas globalmente a cada dia, conforme levantamento da Reuters.

Apesar de o país enfrentar o pior momento desde o início da pandeia, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques autorizou neste sábado a liberação de cultos e missas por todo o país, de acordo com o portal UOL.

As cerimônuas haviam sido suspensas como parte das medidas impostas por governadores para reduzirem a circulação do vírus e conter a doença, mediante o colapso dos sistemas de saúde devido ao aumento explosivo de casos.

Segundo o ministro, no entanto, a decisão de liberar os cultos é compatível ao mesmo tempo com "a necessidade de distanciamento social, decorrente da epidemia da Covid-19, com a liberdade religiosa", de acordo com o UOL.

Em meio ao fim de semana do feriado da Páscoa, os números da pandemia no país deste sábado ficaram abaixo da média recente do Brasil, que tem registrado mais de 3 mil mortes e mais de 70 mil casos diários.

Estado mais afetado pelo coronavírus em números absolutos, São Paulo atingiu nesta quinta as marcas de 2.520.204 casos e 76.750 mortes.

Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus registradas, com 1.153.526 casos, mas o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos contabilizados, com 37.629 mortes.

O governo ainda reporta 11.305.746 pessoas recuperadas da Covid-19 e 1.317.658 pacientes em acompanhamento.

(Por Pedro Fonseca)