Brasil tem 67,6 milhões de endividados; veja como renegociar

As empresas costumam esperar 30 dias antes de incluir o nome dos endividados em listas de proteção de crédito
As empresas costumam esperar 30 dias antes de incluir o nome dos endividados em listas de proteção de crédito (Getty Image)
  • Inadimplência alcançou o maior índice da série histórica da Serasa Experian

  • Assunto entrou como pauta nas falas dos candidatos à presidência durante o debate

  • Consumidores têm direito à informações sobre composição das dívidas

Em junho deste ano, o número de brasileiros inadimplentes chegou a 67,6 milhões. Esse é o maior número da série histórica da Serasa Experian, iniciada em 2016. A situação é tão grave que entrou como pauta nas falas dos candidatos à presidência durante o debate realizado pela Band durante o último domingo (28).

Se em 2018 Ciro Gomes (PDT) levantou a bandeira de "limpar o nome" de milhões de pessoas, neste ano Luiz Inácio da Silva (PT) também promete renegociações. Já o presidente Jair Bolsonaro (PL) fala sobre a criação de empréstimos para os beneficiários do Auxílio Brasil, o que gera críticas de especialistas.

Na prática, as instituições têm o direito a negativar o consumidor no primeiro dia de atraso. No entanto, as empresas costumam esperar 30 dias antes de incluir o nome dos devedores em listas de proteção de crédito.

Em alguns casos, como em serviços, as companhias também podem interromper o fornecimento. Nesse caso, a trégua concedida aos inadimplentes de serviços essenciais, como água, luz e telecomunicações, (concedida no auge da pandemia) não está mais em vigor.

Para se planejar financeiramente para quitas as dívidas, o devedor pode solicitar ao credor o cálculo da dívida, dados como custo total, juros e prazo de pagamento.

Apesar do Código Civil determinar o cadastro negativo após cinco anos das instituições de proteção de crédito, a dívida continua existindo e ainda pode ser cobrada.

Buscar por propostas de renegociação pode ser uma alternativa interessante para quitas os débitos. Até cinco dias úteis depois do pagamento da primeira parcela da renegociação, o nome do consumidor precisa ser retirado do cadastro de devedores.