Brasil tem 9,5 mil escolas sem acesso à internet

6,8% das escolas do país não contam com acesso à internet, revela estudo da Anatel
6,8% das escolas do país não contam com acesso à internet, revela estudo da Anatel
  • Acre lidera no ranking, apresentando as maiores disparidades sociais;

  • Estudo da Anatel também verificou acesso a eletricidade e laboratórios de informática nas escolas;

  • Brasil conta com 138.803 escolas públicas.

Um relatório divulgado na semana passada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) fez uma revelação drástica sobre a rede pública de ensino brasileira. Em 2022, 9,5 mil escolas não tiveram acesso à internet. Este número representa cerca de 6,8% das escolas do país.

A investigação documentou um total de 138.803 escolas públicas no país. Destas, 85.842 são em áreas urbanas e 52.961 em zonas rurais. Dos 6,8% de escolas sem internet no país (9.498), a maioria se encontra nas áreas rurais.

O levantamento da Anatel divulgou ainda outros dados que pintam um mau cenário do ensino público brasileiro. Cerca de 3,4 mil escolas do país (2,5%) não têm acesso a energia elétrica, e outras 46,1 mil (33,2%) não contam com laboratórios de informática.

Ainda segundo o estudo, apenas 11 dos 27 estados do Brasil possuem 100% das escolas com energia elétrica. Quatro estados se destacam por ter mais de 10% dos colégios sem eletricidade: Acre (35,5%), Roraima (21,5%), Amazonas (19,9%) e Pará (12,2%).

Em relação à conectividade ao mundo digital, seis estados se destacam por terem mais de 10% das escolas sem acesso à internet: Acre (46,0%), Amazonas (40,9%), Roraima (36,1%), Pará (27,9%), Amapá (27,5%) e Maranhão (11,9%). Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal, por outro lado, possuem mais de 99,9% dos colégios conectados à rede mundial de computadores.

No que se refere aos laboratórios de informática, os mesmos estados aparecem nas primeiras posições. O Acre possui 90,9% das escolas sem salas dedicadas ao ensino tecnológico. Em seguida estão o Maranhão (89,6%) e Pará (86,1%). No agregado, o Acre aparece como o estado que tem as maiores e mais profundas disparidades sociais, sendo líder nos quesitos examinados pela Anatel.