Brasil tem forte presença no Festival de Cinema de Toulouse

Por Ariela NAVARRO
(2014) Cartaz promocional da 26ª edição do festival dedicado ao cinema latino em Toulouse

O Festival de Cinema de Toulouse foca a partir desta sexta-feira nos principais contrastes da América Latina, com documentários e obras de ficção abordando as temáticas feminina e indígena.

"Há uma grande variedade. Isso é um reflexo dos contrastes, da diversidade. Procuramos oferecer um panorama verdadeiramente amplo", explicou Eva Morsch, encarregada da programacão.

O Brasil estará representado na seção competitiva dos longas-metragens com “Era o Hotel Cambridge”, de Eliane Caffé, e “Não Devore meu Coração”, de Felipe Bragança.

Nos documentários, estão “Histórias que nosso Cinema (Não) Contava”, de Fernanda Pessoa, e “Sexo, Pregações e Política”, de Aude Chevalier-Beaumel e Michael Gimenez. Competindo nos curtas, “Rosinha”, de Gui Campos.

“Sábado Morto”, de Leonardo Lacca, e “Meio-Irmão”, de Eliane Coster, participam no evento "Cinéma en Développement".

O festival Cinelatino de Toulouse prestará este ano uma hmengem ao "Caliwood", um movimento de vanguarda colombiano da década de 1970, com a presença de um de seus expoentes e quase único sobrevivente, Luis Ospina.