Brasil tem novo recorde diário com 2.841 mortes por Covid e total supera 282 mil

Gabriel Araujo
·2 minuto de leitura
Voluntário desinfecta escada na favela Santa Marta, no Rio de Janeiro

Por Gabriel Araujo

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil registrou nesta terça-feira um novo recorde de mortes por Covid-19 em um único dia, com a notificação de 2.841 óbitos, o que eleva o total de vítimas fatais da doença no país a 282.127, informou o Ministério da Saúde.

A cifra desta terça supera com folga o recorde anterior de óbitos registrados em 24 horas no Brasil, de 2.286 mortes, em 10 de março.

Além disso, também foram contabilizados 83.926 novos casos de coronavírus nesta terça, com o total de infecções confirmadas no país avançando para 11.603.535, de acordo com dados do ministério.

O número de novos casos é o terceiro maior para um só dia no país, abaixo apenas das marcas de 7 de janeiro (87.843) e 12 de março (85.663).

Enfrentado seu pior momento na pandemia, o Brasil é o país com as maiores contagens de mortes e infecções no mundo na média dos últimos sete dias, de acordo com levantamento da Reuters. Em termos absolutos, ocupa o segundo lugar global em contaminações e óbitos, atrás somente dos Estados Unidos.

Em meio a esse cenário, o presidente Jair Bolsonaro anunciou na segunda-feira o cardiologista Marcelo Queiroga como seu quarto ministro da Saúde desde o início da pandemia, em substituição ao atual chefe da pasta, general Eduardo Pazuello.

Em pronunciamento nesta terça ao lado de Pazuello, o futuro ministro fez menção à grave situação atual e defendeu o uso de máscaras e a higienização das mãos como medidas simples para "evitar ter que parar a economia de um país", mas não fez referência ao isolamento social.

"No momento, vivemos uma nova onda da pandemia, com muitos óbitos, e é preciso melhorar a qualidade de assistência em cada um dos nossos hospitais, sobretudo nas unidades de terapia intensiva, no enfrentamento às síndromes respiratórias agudas graves", disse Queiroga.

Estado mais afetado pela Covid-19 em números absolutos, São Paulo atingiu as marcas de 2.225.926 casos e 64.902 mortes, com um recorde diário de 679 óbitos. A taxa de ocupação de UTIs nos hospitais paulistas avançou para 90%, segundo o governo estadual.

Conforme os números do Ministério da Saúde, Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus registradas, com 980.687 casos, mas o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos contabilizados, com 34.445 mortes.

O governo ainda reporta 10.204.541 pessoas recuperadas da Covid-19 e 1.116.867 pacientes em acompanhamento.