Brasil ultrapassa 187 mil mortes por Covid-19, aponta boletim das 20h do consórcio de veículos de imprensa

Extra
·2 minuto de leitura
Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

O Brasil ultrapassou nesta segunda-feira a marca de 187 mil mortes causadas pelo novo coronavírus. Foram notificados 549 óbitos em decorrência da Covid-19, totalizando 187.322 vidas perdidas para a doença. Houve também o registro de 26.871 novos casos, somando 7.264.221 de infectados. A média móvel foi de 769, a maior desde 21 de setembro.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

A disseminação de uma mutação do novo coronavírus no Reino Unido, que pode ser o motivo por trás de uma escalada no número de casos da Covid-19 em algumas regiões do país, coincidiu com o momento em que vacinas começaram a ser aplicadas em diferentes países, como o Reino Unido e os Estados Unidos. O temor levou diferentes países a restringirem a entrada de voos e cidadãos britânicos e traz apreensão a poucos dias do fim do ano. Especialistas ponderam que uma mutação capaz de anular a eficácia de imunizantes contra o Sars-CoV-2 pode demorar anos, mas reconhecem que a variante, batizada de B.1.1.7, é motivo de preocupação.