Brasileira bate recorde em maratona no monte mais alto da Antártida

A maratonista mineira Fernanda Maciel bateu dois recordes na Antártida, depois de escalar o monte Vinson, o mais alto do continente, em apenas 9h41min. O trajeto de ida e volta feito por ela leva, em média, de cinco a sete dias para ser completado por outros atletas. O desempenho excepcional da brasileira na montanha de 4.892 metros foi confirmado pela Sky Running e Fastest Known Time, plataformas especializadas no assunto que monitoram os tempos de corredores.

Licença-maternidade: Sara Björk ganha batalha judicial na Fifa contra o Lyon por salários não pagos durante gestação

Seis concorrentes: Comitê Olímpico do Brasil anuncia concorrentes ao prêmio de melhor atleta de 2022

Com isso, ela se tornou a pessoa mais rápida a chegar ao cume do Vinson, realizando o caminho em 6h40min. O feito inédito também se aplica na soma da escalada de ida com a descida, totalizando, assim, os 9h41min. A belo-horizontina de 42 anos ainda optou por descer sem o auxílio de oxigênio, mesmo carregando água, comida e roupas extras, em um dia em que os termômetros locais marcavam -36ºC.

— A Antártida é um ambiente de isolamento, uma experiência de corrida bem louca e difícil. Fiquei assustada com a temperatura — conta Fernanda, que teve as pontas dos dedos das mãos congeladas com a experiência. A previsão é que o local volte ao normal só daqui a dois meses.

Apesar do final feliz, a atleta enfrentou uma série de dificuldades no caminho, como frio extremo e ar rarefeito. As dificuldades, no entanto, não paralisaram a mineira, que estava acompanha de seu guia de montanha local e também corredor, Sam Hennessey.

— Essa foi uma experiência de corrida bem louca e difícil. Quando cheguei ao Acampamento Alto, um guarda me deu água quente e [batatas] Ruffles, e continuei avançando até o cume. Coloquei minhas luvas e goggles (óculos de proteção) para proteger os olhos. Eles congelaram, mas consegui ver o caminho pro topo — relata.