Brasileira que colocou recém-nascida em lixeira nos EUA é condenada a sete anos e meio de prisão

Uma brasileira foi condenada no Tribunal do Condado de Palm Beach nesta quinta-feira a sete anos e meio de prisão por ter jogado a própria filha recém-nascida em uma lixeira de Boca Raton, no estado americano da Flórida. Rafaelle Sousa, de 38 anos, abandonou a criança após o parto, em 8 de maio de 2019.

Independência: Coração de Dom Pedro I chega ao Brasil no dia 22 de agosto

A nado ou pelo duto: EUA apreende 183 brasileiros que tentavam entrar ilegalmente

Durante o processo, a brasileira se declarou culpada das acusações de tentativa de assassinato em primeiro grau e abuso infantil. Por ser imigrante ilegal, Rafaelle deve ser extraditada do país após cumprir a sentença.

A criança foi encontrada por funcionários do condomínio onde a brasileira morava. Eles ouviram o choro do bebê. O Gabinete do Xerife de Palm Beach informou, na época, que a recém-nascida pesava 2,8 kg e ainda tinha o cordão umbilical.

Confessou: Preso por degolar mulher e filho fez vídeo por orientação de estagiário de Direito

A menina foi levada para o hospital, conseguiu sobreviver e teve a guarda dada ao pai. Desde então Rafaelle está presa, sem direito a fiança. Quando foi detida, a brasileira já estava nos EUA há quatro anos. Ela não lê, escreve ou fala inglês.

Não é um 'monstro', diz advogada

Rafaelle foi representada pela advogada Samantha Vacciana, durante o processo. A defensora argumentou que a brasileira não sabia que estava grávida até entrar em trabalho de parto e achou que o recém-nascido estava morto.

Duplo homicídio: Suspeito de matar mulher e filho em SC foi convencido por estagiário a gravar vídeo de confissão

— Já lidei com pessoas que o mundo veria como um monstro — disse Samantha. — Ela não é uma delas — acrescentou.

De acordo com a advogada, Rafaelle não tinha condições de pagar uma consulta médica e, por esse motivo, tomou Tylenol e pílulas dietéticas para lidar com a dor e o ganho de peso repentino nos meses anteriores ao parto. Samantha alegou que a brasileira estava alheia ao fato de que esperava sua segunda filha.

Conforme o relato da advogada, o bebê nasceu em um banheiro. Como o parto ocorreu de forma repentina, para a gestante, a criança bateu com a cabeça na porcelana do vaso ao nascer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos