Brasileira que morreu nos Andes Peruanos planejava trilha de 100km na Argentina

A brasileira Maria Lucia Paternostro Rodrigues estava de férias e fazia trilha nos Andes Peruanos. (Foto: Reprodução/Redes sociais)
A brasileira Maria Lucia Paternostro Rodrigues estava de férias e fazia trilha nos Andes Peruanos. (Foto: Reprodução/Redes sociais)
  • Amigos afirmam que brasileira gostava de fazer trilhas e estar na natureza

  • Ela estava nos Andes Peruanos para se preparar para uma viagem no próximo ano

  • Corpo está em processo de resgate

A brasileira Maria Lucia Paternostro Rodrigues, que morreu ao cair de um penhasco nos Andes Peruanos, na última segunda-feira (1), planejava uma viagem para realizar uma trilha na Patagônia argentina, contam amigos.

"Estávamos treinando juntos para uma trilha que iríamos fazer no ano que vem para a Patagônia. O percurso é grande: 100 km. Ela estava animada e fazendo planos", disse Adriano Zed Teles, amigo de Maria.

Segundo seus amigos, a mulher adorava fazer atividades ao ar livre. Apaixonada pela natureza, buscava fazer trilhas e visitar cachoeiras em seu tempo livre.

A servidora do Superior Tribunal de Justiça (STJ) era residente do Distrito Federal e passava as férias no país vizinho. Amigos relatam que ela se acidentou durante uma trilha. Seu corpo foi localizado somente ontem, por conta da dificuldade de acesso ao local, e ainda está em processo de resgate.

Quando for retirado, o corpo será levado à capital peruana, Lima. As informações são do portal UOL.

Nas últimas postagens em suas redes sociais, Maria aparece na viagem ao Peru, onde percorreu o Parque Nacional Huascaran e observou a Laguna Parón.

Formada em Letras e Direito, Maria tinha pós-graduação em Direito Público. Ela começou a trabalhar no STJ em 2003 e atualmente exercia a função de assessora-chefe do Núcleo de Gerenciamento de Precedentes e de Ações Coletivas (Nugepnac). Ela deixa uma filha de 12 anos.

Segundo Teles, Maria fazia atividades físicas em sua academia de crossfit há pelo menos sete anos. Ele a descreve como uma pessoa sorridente e de bem com a vida.

"Recebemos com muita surpresa e tristeza essa notícia. A Malu era uma pessoa da paz, do bem, alto astral. Vibrava por todos. Queria sempre o nosso bem. Ela sempre estava envolvida em trilhas, em projetos, sonhos. É inacreditável", disse ao portal UOL.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos