Brasileiro é acusado de assassinar mineira em apartamento na Irlanda

O brasileiro Miller Pacheco, de 29 anos, foi acusado de assassinar a mineira Bruna Fonseca, de 28, na cidade irlandesa de Cork, nesta segunda-feira. Segundo a imprensa local, o crime aconteceu nas primeiras horas do dia 1° de janeiro, após as comemorações do ano novo.

Arqueologia: Novas evidências apontam que Amazônia pré-colonial teve 10 milhões de habitantes, cultivos e comércio

De cidadezinha de 8 mil habitantes em MG à Santos de Pelé: cinco sortudos dividem prêmio recorde da Mega da Virada; saiba

Bruna Fonseca foi encontrada morta com sinais de espancamento e estrangulamento em seu apartamento. Apontado como autor do crime, Pacheco foi detido pela polícia irlandesa na tarde desta segunda-feira no mesmo prédio em que a mineira morava.

Segundo o detetive Padraig Harrington disse ao jornal Irish Examiner, o brasileiro afirmou "não ter nada a declarar" sobre a acusação. Miller será mantido preso sem direito a fiança.

De acordo com o jornal Irish Examiner, a mineira, natural da cidade de Formiga, havia se mudado para o país europeu no ano passado e trabalhava em uma empresa de limpeza. Ela era formada em Biblioteconomia pela Unifor.

Ainda segundo o veículo irlandês, Bruna Fonseca era ex-namorada de Miller Pacheco. Nas redes sociais do casal, é possível encontrar fotos dos dois juntos:

Por volta das 6h30, a polícia irlandesa foi acionada após o corpo da brasileira ser encontrado em seu apartamento na rua Liberty Street. Paramédicos tentaram reviver a brasileira, mas sem sucesso. Posteriormente, uma perícia médica indicou que Bruna Fonseca foi morta após ser estrangulada e espancada.

Segundo a polícia irlandesa, poucas horas antes do crime, a jovem havia deixado o apartamento para comemorar a virada de ano junto com amigos.