Brasileiro Fido Nesti vence Prêmio Eisner, o 'Oscar' da HQ

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O ilustrador Fido Nesti venceu o Prêmio Eisner, o "Oscar" dos quadrinhos. O paulistano de 51 anos levou o prêmio na categoria "Melhor adaptação de outro meio" por sua versão graphic novel do clássico "1984", de George Orwell, publicado em 2020 pela Quadrinhos na Cia (do grupo Companhia das Letras).

Nesti trabalha com ilustração e quadrinhos há mais de 30 anos. Em 2006, ele já havia criado uma versão gráfica de "Os lusíadas", obra máxima de Camões.

Publicado originalmente em 1949, "1984"é ainda hoje um dos mais vendidos no mundo e é um dos modelos da distopia moderna, gênero que ganhou força nos últimos anos. O romance de George Orwell conta a história de um homem refém de uma sociedade totalitária, em que o livre pensamento é considerado crime. Colocando a vida em risco, ele decide se voltar contra o poder após se apaixonar por uma colega.

Nesti releu a obra de Orwell diversas vezes entender, tentando criar relações entre o período em que foi escrita e os dias atuais. A HQ foi desenvolvida por quase dois anos.

Antes de vencer o Eisner, a HQ já havia recebido elogios fora do país. A quadrinista americana Emil Ferris, autora do celebrado "Minha coisa favorita é monstro" , também vencedor do Eisner. "A arte sublime de Fido Nesti faz deste livro um prazer completo", disse ela. "Um triunfo visual da mais alta ordem!"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos