Brasileiro, 'mergulhador do tráfico' morre na Austrália

'Mergulhador do tráfico' atuava colocando drogas em cascos de navios. Foto: Getty Images.
'Mergulhador do tráfico' atuava colocando drogas em cascos de navios. Foto: Getty Images.
  • Brasileiro foi preso na cidade de Newcastle

  • Mergulhador foi contratado por quadrilha internacional de tráfico de drogas no Espírito Santo

  • Homem atuava colocando cocaína em navios

Moradores da cidade de Newcastle, na Austrália, encontraram o corpo de um brasileiro no mar. O homem, que não teve a identidade divulgada, participava de uma ação criminosa para uma quadrilha de tráfico internacional de drogas.

Segundo a Polícia Federal, o corpo foi localizado na última terça-feira (10). Segundo as autoridades, o brasileiro era um mergulhador profissional que atuava colocando e retirando drogas de cascos de navios.

"Durante a investigação, foram identificados dois capixabas nessa prática criminosa, um deles estava retirando drogas dos cascos de navios quando teve um problema com o seu aparelho de mergulho e veio a óbito", disse o delegado da PF Victor Batista, em entrevista ao portal UOL, que informou que o segundo suspeito não foi encontrado pelos policiais.

Com apoio da Agência Antidrogas dos Estados Unidos, Policiais Cataris, Indonésios e Australianos, a PF realiza uma grande operação para parar a quadrilha.

"Nessa operação de tráfico internacional de drogas foram realizadas duas apreensões. Uma de 179 kg de cocaína (na Indonésia) e outra de 104 kg (na Austrália). Houve ainda a prisão de um indivíduo em território australiano que participava dessa empreitada criminosa", disse Batista.

O homem preso atua como veleiro e foi identificado como James Blee. Já seu filho, que seria o segundo tripulante, e outros dois brasileiros identificados também não foram encontrados.

A investigação começou no Espírito Santo, no dia 10 de abril. A polícia tentava identificar um mergulhador que teria sido contratado por traficantes internacionais para realizar o trabalho de colocar cocaína no casco de um navio. Quando ele foi identificado, segundo a PF, ele já havia viajado para o Catar.

"Alertados pela PF, os cataris então procederam vigilância por alguns dias, perceberam que um segundo brasileiro, também mergulhador, se juntou ao primeiro e que ambos haviam comprado bilhetes para Bali, na Indonésia. Após quase uma semana de acompanhamento, eles embarcaram em um veleiro de propriedade de um cidadão francês, com dois tripulantes australianos, em direção à Austrália", afirmou o órgão, em nota.

Dias depois, o veleiro foi abordado na costa da cidade de Darwin por agentes da polícia australiana. O capitão da embarcação foi preso, enquanto outros tripulantes conseguiram fugir.

"As buscas pelos três homens (um brasileiro e dois australianos) continuam. Seus nomes devem ser, em breve, colocados na lista de foragidos internacionais da Interpol. Aqui no Brasil, as investigações continuam para determinar o possível envolvimento de outras pessoas nos crimes cometidos", disse a PF em nota oficial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos