Brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner 'estava se preparando', diz amigo

Fernando André Sabag Montiel, de 35 anos, brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner. (Foto: Reprodução)
Fernando André Sabag Montiel, de 35 anos, brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner. (Foto: Reprodução)
  • Homem era amigo de Fernando na adolescência

  • Ele revela que brasileiro tinha tendências ao alcoolismo e 'se perdeu muito jovem'

  • Tentativa de assassinato de Cristina Kirchner aconteceu na noite desta quinta-feira

Um homem que diz ser amigo do brasileiro que tentou assassinar a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, disse que havia sinais de que algo poderia acontecer. O atentado ocorreu na noite desta quinta-feira (1) e Fernando André Sabag Montiel, de 35 anos, foi preso.

“Ligando os pontos, acho que ele estava se preparando para este momento”, disse o amigo, identificado apenas como Mario, à emissora local Telefe. “[Ele] sabia que [o crime] ia passar na TV e sabia que ia ser preso, não tenho dúvidas disso.”

Mario afirma que conheceu Fernando em 2004 e que se surpreendeu ao vê-lo na TV "completamente mudado".

“A última vez que o vi foi há 10 meses, quando ele foi à cidade comprar uma arma, mas não sei dizer se é a mesma que usou ontem à noite”, contou.

Segundo ele, o suspeito tinha "tendência ao alcoolismo" “Ele se perdeu muito jovem. Quando sua mãe faleceu ele não tinha nada a perder”, disse.

Tentativa de atentado

Um brasileiro identificado como Fernando Andrés Sabag Montiel é, segundo a polícia da Argentina, o suspeito de ter apontado uma arma e apertado o gatilho contra a vice-presidente Cristina Kirchner na noite desta quinta-feira (1/9) em Buenos Aires.

Imagens veiculadas por canais de televisão do país mostram o momento em que uma pistola é apontada para o rosto de Kirchner e, apesar de o gatilho ser puxado, o disparo falha. Segundo a polícia, a arma teria ficado a centímetros de distância da ex-presidente da Argentina.

Montiel, de 35 anos, portava uma pistola Bersa 380, calibre 32 — de fabricação argentina — carregada com cinco balas, segundo informações da Polícia Federal à imprensa.

A ação do homem, que usava uma touca preta e uma máscara facial, chamou a atenção dos apoiadores da ex-presidente que o agarraram, no meio da multidão, conforme mostram as imagens das emissoras locais.

Na hora de apertar o gatilho contra Cristina, ele tira a máscara, deixando o rosto visível, como mostram imagens da televisão.

No momento em que foi flagrado, ele tentou fugir, mas foi agarrado pela camiseta, no meio da multidão reunida próximo ao prédio onde a ex-presidente mora no bairro da Recoleta.

O homem foi preso e levado para uma delegacia na cidade de Buenos Aires, onde no fim da noite de quinta-feira continuava detido. A expectativa é que ele preste declaração nesta sexta-feira.