Brasileiro que tentou matar Cristina Kirchner não agiu sozinho, diz advogado

Cristina Kirchner, vice-presidente da Argentina, foi vítima de uma tentativa de atentado por um brasileiro (Foto: LUIS ROBAYO/AFP via Getty Images)
Cristina Kirchner, vice-presidente da Argentina, foi vítima de uma tentativa de atentado por um brasileiro (Foto: LUIS ROBAYO/AFP via Getty Images)

O advogado de Cristina Kirchner, Gregorio Dalbón, acredita que o brasileiro que tentou matar a vice-presidente da Argentina “não agiu sozinho”. Ele garante ter feito investigações próprias e, por isso, entende que havia eventos preparatórios e que outras pessoas já sabiam do que o brasileiro Fernando Sabag Montiel tentaria fazer. As informações são da agência AFP;

Em entrevista à agência de notícias Telam, Dalbón declarou que vai apresentar um pedido para que a equipe dele integre a acusação.

“A denúncia está pronta para assinatura da vice-presidente, o que será feito na segunda-feira”, afirmou. “Dessa forma, você pode ter acesso ao caso, sugerir provas, solicitar novas prisões, oferecer perícias por parte e estar no desfecho do processo com a possibilidade de recorrer de resoluções que causem ônus. Na minha opinião, haverá mais [réus], porque entendo que [o agressor] não agiu sozinho.”

O advogado declarou, sem dar detalhes, que acredita que mais pessoas estejam envolvidas, mas não figuras públicas. “São como esse rapaz”, disse.

Dalból criticou ainda que o celular de Montiel tenha sido danificado, o que impede que os dados sejam acessados. “É incrível que eles cometam erros e percam dados tão importantes quanto os que emergem do telefone de um assassino neste caso.”

Brasileiro, Fernando Sabag Montiel nasceu no Brasil e é filho de mãe argentina e pai chileno. Ele já havia sido preso em março de 2021, por portar uma faca. A namorada dele também foi presa.

Namorada presa

A companheira do homem acusado de tentar assassinar a vice-presidente argentina Cristina Kirchner foi detida no domingo em Buenos Aires por ordem da juíza que comanda a investigação.

A mulher, identificada como Brenda Uliarte, foi gravada na companhia do agressor Fernando Sabag Montiel no dia do atentado, 1º de setembro, de acordo com a imprensa, ao contrário de sua versão inicial de que não o encontrara nas 48 horas anteriores ao incidente.

A jovem de 23 anos concedeu uma entrevista na qual disse que convivia com Sabag Montiel há um mês. Ela afirmou que não sabia que ele tinha armas e que também não havia falado sobre Kirchner.

"Na verdade, não recordo de menções à vice-presidente. Reclamava do dólar e da economia, como todos", declarou ao canal Telefe.