Brasileiros detidos na Argentina com US$ 500 mil em avião são liberados; veja vídeo

Os três brasileiros detidos na Argentina, após autoridades terem encontrado cerca de US$ 500 mil dentro do avião usado pelo grupo, foram liberados e irão retornar ao Brasil. Os agentes alfandegários primeiro detectaram dinheiro escondido no corpo dos tripulantes e, em seguida, uma inspeção localizou o restante dos valores dentro da aeronave.

Crime: PM mata a própria família no Paraná

Ouça: PM que matou família no Paraná mandou áudio explicando crimes

O trio, no entanto, deverá comparecer a Justiça Federal de Eldorado, no dia 26 de julho. O juiz Alejandro Gallandat Luzuriaga decidiu não prendê-los porque eles não têm antecedentes criminais, segundo o jornal argentino Clárin. O avião e os celulares do grupo foram apreendidos e serão submetidos a uma perícia. Ainda segundo o jornal, o trio foi autuado pelo crime de tentativa de contrabando de divisas.

O único passageiro da aeronave, Arthur de Freitas Rasmussem, diretor comercial da empreiteira catarinense Rosecon, alegou que o dinheiro correspondia ao pagamento feito por um empresário paraguaio por imóveis de luxo no litoral brasileiro. O avião monomotor modelo Pegasus tinha a inscrição Rosecon Empreendimentos Imobiliários na sua lateral.

Na Inglaterra: Brasileiro é condenado a 22 anos de prisão por estuprar homens heterossexuais após dopá-los

Entenda: O que se sabe sobre o caso do PM que matou a própria família no Paraná

Além de Rasmussem, foram detidos também os dois pilotos. O grupo foi detido no Aeroporto Internacional Cataratas del Iguazú, na cidade de Puerto Iguazú. A aeronave tinha vindo de Apóstoles, em Misiones, e seu destino era Itapema, em Santa Catarina.

Em nota, a Rosecon afirmou que "a situação já está sendo resolvida pelo seu setor jurídico e que as pessoas envolvidas prestaram os devidos esclarecimentos à autoridade policial".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos