Brasileiros reclamam que não conseguem voltar do Reino Unido após restrição a viagens

O Globo
·2 minuto de leitura

Após o governo brasileiro decidir suspender voos oriundos do Reino Unido, como medida para conter a propagação da cepa do novo coronavírus com maior capacidade de transmissão, brasileiros que estão no país reclamam que não conseguem voltar para casa.

— Tentamos voltar para o Brasil pela Escócia, mas não estamos conseguindo devido ao fechamento pelo governo brasileiro. Eles fecharam as fronteiras e se esqueceram dos brasileiros que se encontram no exterior e precisam voltar para casa — afirmou à TV Anhanguera o tradutor Giancarlo Danello.

Desde a sexta-feira estão proibidos voos internacionais para o Brasil que tenham origem ou passagem pelo Reino Unido. Uma portaria com as determinações foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União ma antevéspera de Natal, passando a valer dois dias depois.

Com a publicação da portaria, o Brasil passou a integrar o grupo de mais de 40 países que fecharam sua portas ao Reino Unido após a descoberta de uma nova cepa do coronavírus em território britânico.

Iuri Pinheiro, que trabalha como entregador por aplicativo, planejava há anos vir ao Brasil visitar a família. Ele também teve a passagem cancelada e reclama da falta de assistência do governo brasileiro.

— Continuamos sem respaldo nenhum, sem contato com ninguém. Eles falam que pode voltar, mas não aceitam embarque. A gente compra passagem, e cancelam no mesmo dia.

O enfermeiro Francisco Santana está em Londres e também integra o grupo de brasileiros que não conseguiram voltar para o país.

— Assim como a minha situação, existem centenas de brasileiros querendo retornar ao país de origem. A Europa inteira está permitindo que seus residentes entrem em seu país com exame de Covid-19 negativo — relatou Santana.

A norma não restringe a entrada de passageiros de outros países por via aérea desde que comprovem, por meio de teste, que não estão com Covid-19. O exame precisa ter sido realizado 72 horas antes do embarque.

Nesta quarta-feira, autoridades britânicas anunciaram a identificação de outra nova variante do vírus que parece ser mais transmissível.

Apesar de uma pressão crescente, o governo brasileiro vinha resistindo a tomar essa decisão, em um jogo de empurra entre as autoridades do país. Os ministérios jogavam a responsabilidade uns para os outros ao serem questionados, ao longo desta semana, se iriam juntar-se aos países que proibiram os voos do Reino Unido.

Apesar das restrições, outros países, como a França, restabeleceram as viagens com o Reino Unido, desde que os passageiros apresentem testes de Covid-19. O fechamento das fronteiras provocou engarrafamentos quilométricos no Canal da Mancha, com milhares de caminhoneiros estacionados à espera de autorização para entrar na França.

A TV Anhanguera solicitou, no sábado (26), um posicionamento do Ministério das Relações Exteriores sobre o pedido de assistência de brasileiros que estão no exterior, mas não obteve resposta até a publicação desta reportagem. (Com G1)